Nota de falecimento do Rev. Philip Potter

O mundo perde um grande líder ecumênico. Sou um dos privilegiados que tiveram a oportunidade de trabalhar e conviver com Philip Potter nos anos 1978-1983 quando trabalhei em Genebra, no Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e Philip era seu Secretário Geral. Acima de tudo, tive o privilégio de aprender muito com ele. Possuidor de uma mente privilegiada e de uma erudição impar, Philip conseguia combinar a seriedade, o rigor e a profundidade de suas reflexões teológicas e analises políticas com um agudo senso de humor e contagiante humildade. O papel fundamental que o Conselho Mundial de Igrejas teve na luta internacional contra o racismo, especialmente o apartheid na África do sul, foi fruto da liderança de Philip que soube enfrentar com firmeza e sabedoria as resistências de setores conservadores das igrejas na Europa e nos USA. Foi também sob sua liderança como Secretário Geral que o Conselho Mundial de Igrejas colocou seus recursos humanos, financeiros e redes internacionais em apoio às lutas contra as ditadura na América Latina. Para nós, brasileiros, é importante reconhecer que foi Philip Potter quem deu o aval para o apoio fundamental do CMI ao projeto “Brasil Nunca Mais”. Poucas pessoas sabem que esse perojeto foi totalmente financiado, clandestinamente, pelo CMI. Dou graças a Deus pela sua vida e pelo privilégio de ter sido seu colega, amigo, vizinho, discípulo e companheiro de luta.