KOINONIA reúne-se com Coletivo de Jovens em PE

Marcia Evangelista

No dia 18 de junho, aconteceu na sede do Sindicato de Trabalhadores Rurais de Petrolândia, em Pernambuco, reunião do Coletivo de Jovens do Pólo Sindical dos Trabalhadores Rurais do Submédio São Francisco (PE/BA).

Participaram do encontro representando KOINONIA, o assessor do Programa Trabalhadores Rurais e Direitos (TRD), Jorge Atílio Iulianelli, e Quitéria Maria Silva Ferreira. O encontro reuniu representantes do Pólo Sindical do SMSF e dos Sindicatos de Trabalhadoras e Trabalhadores Rurais de Orocó, Chorrochó, Santa Maria da Boa Vista, Floresta, Carnaubeira, Petrolândia e Rodelas, além de um representante da organização Escola de Formação Quilombo dos Palmares (EQUIP), de Pernambuco.

O Coletivo de Jovens do Pólo Sindical tem como objetivo envolver os jovens nas atividades dos sindicatos da região, preparando ações com a juventude dos assentamentos e sindicatos situados na área do território de Itaparica. Para estruturar o Coletivo de Jovens do Pólo, foi definido que seria fundamental a estruturação de Núcleos e Comissões de Jovens nos Sindicatos da região. Um mapeamento foi feito para localizar os municípios onde os Núcleos de Jovens já estão formados e onde ainda faltam se estruturar e fortalecer: Santa Maria, Orocó, Belém, Itacuruba, Floresta, Jatobá, Xorocho, Rodelas, Ibimirim, Tacaratu, Inajá e Manari (Já tem núcleos formados); Abaré, Petrolândia, Paulo Afonso, Curaça e Carnaubeira (Ainda não tem núcleos).

Pela avaliação do Coletivo, a grande dificuldade para mobilizar a juventude na região do Submédio São Francisco é a questão financeira, pois faltam recursos específicos para essa atividade. Ao longo de sua criação o Coletivo tem executado uma serie de ações, com destaque para o curso de Agentes Culturais, que começa com o processo de treinamento feito com monitores jovens que ficam responsáveis em desenvolver o curso em três etapas. Cada participante do curso é motivado e instrumentalizado para planejar e realizar uma ação cultural nos seu município. Esse processo conta com a participação do Pólo Sindical, e o apoio de KOINONIA Presença Ecumênica e Serviço e da Equip, de Pernambuco, além de construir uma parceria com entidades e jovens do estado de Alagoas.

Juventude pelos municípios – No decorrer da reunião, cada município expôs as dificuldades que encontram no trabalho com juventude, inclusive dentro dos sindicatos. A grande questão colocada por todos é “Como atrair os jovens para as atividades? Como despertar o interesse deles para essas atividades?”

No município de Santa Maria, por exemplo, uma parte significativa de jovens que participaram do Curso de Agentes Culturais segue tentando articular a comunidade para a execução de novas ações. Uma das atividades programadas é um Arraial da comunidade. Existe uma demanda para a realização de um Curso de Agentes para este ano, motivados com a possibilidade de aprender como produzir e realizar uma ação cultural. Em Orocó a avaliação é de que se mantém um certo nível de atuação dos jovens cursistas, envolvendo outras organizações locais como a Pastoral da Juventude, reforçando as iniciativas e ações culturais já executadas pela juventude local, tendo como exemplo a criação da horta comunitária.

O Departamento de Juventude do Pólo, que supervisionou os cursos intermunicipais no ano de 2009, avalia que foi mais fácil trabalhar com os jovens da área rural do que da área urbana. Na realização do curso em Santa Maria e Orocó, o Coletivo percebeu grande motivação dos jovens em participar das atividades, identificando-se com elas. Dois outros pontos colocados são a dificuldade de pessoal para coordenar a ação com Juventude no Pólo e aporte financeiro para deslocamento de jovens para as reuniões do Coletivo.

A Escola de Formação Quilombo dos Palmares (Equip), reiterou sua disposição de viabilizar o processo de municipalização da formação de agentes culturais jovens. Para isso, A Equip seguirá tentando elaborar e negociar recursos para novos projetos, visando dar suporte aos monitores, aos Cursos nos municípios e aos intercâmbios regionais. A Equip também vem desenvolvendo o projeto do curso de qualificação metodológica para educadores/as populares e agentes de desenvolvimento territorial, que deve acontecer em três etapas.

Jorge Atílio e Quitéria informaram que, apesar das dificuldades encontradas no final do ano de 2009, KOINONIA aposta na realização de grandes atividades para os próximos meses, além de continuarem ajudando às entidades na elaboração e prestação de contas dos projetos passados e na elaboração de novos. Jorge Atílio falou ainda sobre a IV Jornada Ecumênica, que pretende reunir jovens de todo o Brasil e América Latina, entre os dias 14 e 16 de novembro, em Itaici (SP). A intenção é de poder contar com a participação de 15 a 20 jovens da região.

Planejando ações – O grupo destacou alguns desafios a serem enfrentados pelo Coletivo de Jovens do Pólo Sindical do SMSF, entre eles:

  1. – Ampliar e garantir a associação e participação da juventude na atual realidade e estrutura de poder do sindicalismo rural;
  2. – Saber ouvir os jovens sobre as questões do sindicato e seus anseios. Tratando de dialogar com a juventude a partir dos seus interesses e pontos de vista de como superar as dificuldades locais e o fortalecimento da luta sindical;
  3. – Garantir espaços no cotidiano para dar visibilidade e tratar com responsabilidade as diferentes visões de práticas no sindicalismos/partido/gestão, de forma a enfrentar divisões que possam ocorrer, criando a possibilidade de estabelecer diálogos e acordando compromissos entre grupos que tem visões e formas de atuar diferentes na base sindical com jovens;
  4. – Construir princípios de convivência e relação entre os grupos; enfrentar a falta de recursos financeiros; estruturar momentos para a socialização das dificuldades, ações e criação de possibilidades de apoio entre os jovens dos sindicatos;
  5. – Ampliação da capacitação e das condições para trabalhar com a juventude; promover ações atrativas, que trabalhe o interesse da juventude e supere determinados vícios de uma cultura do atendimento ao interesse imediato e sem visão de transformação das condições estruturais;
  6. – Fazer levantamento das demandas, interesses e desinteresse dos jovens na vida de cada sindicato. Conhecer realmente a juventude do nosso local, conhecer o perfil desse jovem para ir construindo possibilidade de ação conjunta (artes, produção, futebol) e superar a limitação das atuais condições de cada jovem, “desinteressados e descompromissados”, partindo dos desencantos, interesses e habilidades dos jovens, para superar as dificuldades de sua realidade;
  7. – O Coletivo de Jovens do Pólo precisa funcionar com representantes escolhidos pelos núcleos municipais. Para isso, é preciso sensibilizar os jovens da sua importância e comprometer a direção dos sindicatos sobre a possibilidade de organizar no sindicato os núcleos de juventudes;
  8. – Ampliação do Curso de Agentes Culturais para outros municípios membros do Pólo, contando com a colaboração de cursistas dos municípios onde o curso já aconteceu; manter a meta do ano passado de estruturar o Coletivo em todos os Municípios, com a realização dos Cursos municipais;
  9. – Manter nas diretrizes da formação local a possibilidade de: compor núcleo municipal (mobilização, preparação e condução), com o compromisso de formação de novas lideranças jovens sindicais;
  10. – Definir sua representação nos espaços de reunião desse Coletivo do Pólo, com participação do maior número de sindicatos e estruturação de uma nova dinâmica de funcionamento e formar nova geração de liderança com qualidade de trabalhar na ocupação da estrutura sindical do Pólo.

Tendo claro as dificuldades e os desafios a serem enfrentados, foi acordado no encontro que para fortalecer a união do grupo, o trabalho será desenvolvido a partir de objetivos e atividades comuns, que conduzirão a ação do Coletivo de Jovens na região do Submédio São Francisco no ano de 2010. São elas:

Objetivos:

  • Seguir realizando o processo formativo de Agentes Culturais Jovens por municípios na região;
  • Fortalecer a participação da juventude no espaço da estrutura política dos sindicatos, organizações, entidades, redes, federações, comitês e colegiados territoriais, a partir de suas condições e identidade juvenil;
  • Mobilizar comissões da juventude nos sindicatos para implementação de estratégias que viabilizem o desenvolvimento territorial com protagonismo da juventude rural nos municípios membros do Pólo;
  • Comprometer os dirigentes das organizações membro das instâncias de poder nos territórios, com a aprovação de projetos de interesse da formação, participação e de políticas públicas da juventude;

Ações em conjunto:

  • – Reuniões em cada Sindicato para saber do interesse e da disponibilidade para a formação de uma comissão do Coletivo local e se há jovens interessados em participar do Curso de Agentes Culturais Jovens. Onde já houve o curso, saber se existem jovens interessados em serem monitores. O período para a realização da atividade é até a primeira quinzena de julho nos municípios de Rodelas, Santa Maria, Orocó, Barra e Chorrocho. Nos demais municípios, até o final de julho;
  • Oficina para Monitores do Curso de Agentes Culturais, entre 17 e 18 de julho, com a participação de ex-cursistas e antigos monitores;
  • Curso de Agentes Culturais Jovens: primeira e segunda etapas entre agosto e novembro de 2010 e o Etapão entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011. Participação dos jovens dos municípios de Petrolândia, Floresta, Cachoeirinha, Rodelas, Santa Maria, Orocó, Barra e Chorrocho.
  • Dinâmica do Coletivo: Reuniões dos Coletivos municipais, monitoria das ações e articulação do publico.

Com informações de Jorge Atílio Iulianelli, do Programa TRD de KOINONIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.