KOINONIA dá início à Rede Religiosa de Proteção à Mulher Vítima de Violência

KOINONIA Presença Ecumênica e Serviço

KOINONIA Presença Ecumênica e Serviço – que completa duas décadas esse ano – inicia a organização da Rede Religiosa de Proteção à Mulher Vítima de Violência apostando no potencial das comunidades religiosas para o acolhimento, buscando transformá-las em espaços de informação e prevenção da violência contra mulheres de diferentes faixas etárias. Para isso, a rede se propõe a discutir relações de gênero com lideranças religiosas de diferentes tradições para que estas incidam nas políticas públicas.

A iniciativa de criar esta rede nasceu da necessidade de trabalhar o tema da violência de gênero dentro das comunidades religiosas que, tradicionalmente, legitimam esses atos por meio de uma cultura de fé patriarcal, ainda que a presença feminina seja majoritária nestes espaços.

De acordo com a atualização do Mapa da Violência 2012: Homicídio de Mulheres no Brasil, divulgada pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (CEBELA) e pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO), a cada cinco minutos uma mulher é agredida no Brasil e, muitas vezes, isso acontece no espaço privado. Essas vítimas procuram conforto nos meios religiosos, porém, muitas ainda não percebem estes ambientes como espaços onde podem se sentir seguras para buscar apoio e denunciar a violência vivida dentro de casa.

As comunidades de fé desempenham um papel muito importante, pois têm presença de longo prazo em regiões marginalizadas e em situações de risco social e, por isso, podem influenciar o comportamento e atitudes das pessoas, na prestação de cuidados e aconselhamento, através da construção de relações de confiança e respeito.

A participação ativa de religiosos e suas comunidades na rede de proteção às mulheres em situação de violência pode, além de promover uma incidência nas políticas públicas previstas na legislação brasileira, também estabelecer um canal de apoio, acolhida e orientação. A Rede Religiosa de Proteção à Mulher desenvolverá:

• Ações interculturais e inter-religiosas para promover incidência pública e propor políticas públicas específicas para as mulheres com outras redes governamentais e não governamentais para o enfrentamento à violência contra as mulheres;

• Proteção, articulação, mobilização e proposição de políticas públicas específicas para as mulheres, atuando junto à rede de enfrentamento à violência contra as mulheres;

• Debates com homens e mulheres sobre enfrentamento a violência contra as mulheres nas comunidades religiosas, com diferentes parceiros da sociedade civil e órgãos públicos;

• Ações de incidência pública em agendas governamentais e da sociedade civil de mobilização para enfrentamento da violência contra as mulheres;

• Grupos de apoio a homens agressores, com foco na Lei Maria da Penha, como preconiza a Secretaria de Políticas para Mulheres.

Para participar, envie um e-mail para saudedireitos@koinonia.org.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.