Feira de Saúde da População Negra e Comunidades Tradicionais discute violência contra mulheres negras

Bragança

A assessora do programa Saúde e Direitos de KOINONIA, Ester Lisboa, participou da cerimônia de abertura da II Feira de Saúde da População Negra e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana na última sexta-feira (12), em Bragança Paulista – SP.

 
Com o tema “Fatores Determinantes de Saúde e o Impacto na Vida das Pessoas”, o evento contou com a participação de estudantes, médicos, militantes e religiosos que possibilitaram um diálogo para além do acadêmico.
 
Ester utilizou seu espaço na mesa debatedora para tratar da violência contra as mulheres negras, seguidoras de religiões de matriz afro. O trabalho desenvolvido na Rede Religiosa de Proteção à Mulher Vítima de Violência – iniciativa de KOINONIA em parceria com a Christian Aid – foi o ponto apresentado pela assessora, que mostrou que casos de violência são mais comuns em lares neopentecostais. No entanto, as mulheres de candomblé também apresentam discursos acerca da violência de seus companheiros, que se justificam dizendo que estão em falta religiosa com determinado Orixá; que após a iniciação, a paz espiritual encerrará o ciclo da violência.
 
O fato mostra que a cultura de violência perpassa comunidades religiosas de diferentes tradições e denominações, em diferentes escalas. Por isso, faz-se urgente desconstruir velhos modelos de dominação e opressão feminina para que a experiência espiritual de cada um seja vivenciada justa e plenamente.
 
A II Feira de Saúde da População Negra e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana é uma realização do Programa de DST/Aids e Hepatites Virais de Bragança Paulista em parceria com a Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde (Renafro) e International Federation of Medical Students Association of Brazil (IFMSA).