Encontro de comunidades de terreiros e KOINONIA

Ana Gualberto com edição de Manoela Vianna

Foto:Manuela Hernández

Aproximadamente 110 representantes de casas de religião de matriz africana estiveram presentes atendendo a mais um chamado de KOINONIA para almoço de trabalho e fraternidade. 

KOINONIA apresentou suas ações de assessoria das comunidades de terreiro utilizando os relatos do boletim Fala Egbé nº 27 . Em destaque, a situação de Mãe Rosa de Itaparica (BA) que vem sofrendo ameaças , ataques a seu terreiro de forma mais diretas, após o assassinato do Ogã Marco, em setembro de 2012. Houve um debate dos participantes motivados pela necessidade e desejo de colaborar com Mãe Rosa nas mais variadas frentes. Ficou definida uma série de ações e serem realizadas que se iniciaram no último sábado, 15 de junho, com o dia de solidariedade a Mãe Rosa. Vários representantes das comunidades de terreiro foram até Vera Cruz, local do terreiro. Eles levaram doações para a roçae desenvolveram diversas atividades junto a comunidade, incluindo uma caminhada pela estrada do Baiaco até Coroa.

Outro ponto da pauta do encontro de terreiros foi a retomada do diálogo com a prefeitura de Salvador que em setembro assumiu com as comunidades de terreiro, compromissos pela garantia dos direitos da população. Segue trecho da carta assinada pela Vice Prefeita Célia Sacramento na reunião de 5 de setembro de 2012:

“… Portanto propomos seu compromisso de:
Garantir às casas religiosas de matriz africana a imunidade de impostos prevista pela Constituição, assim como as igrejas.
Ampliar a representação das religiões de matriz africana nos conselhos municipais, valorizando os conhecimentos tradicionais trazidos pelas comunidades.Capacitar servidores municipais das diversas secretarias para que ajam sem promover a intolerância religiosa.”

Com o objetivo de compreender o que efetivamente a prefeitura tem feito para concretizar suas promessas, buscamos a Secretaria Municipal da Reparação (Semur) –, que foi representada por Valdo Lumumba, assessor da secretária Ivete Sacramento, que apresentou a estrutura e afirmou o papel de articulação desta secretaria. O Plano Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Também foi apresentado

Para KOINONIA, as respostas da Semur para os compromissos assumidos pela atual prefeitura ainda são insipientes diante das demandas do povo de santo. Precisamos manter o diálogo e cobrar os compromissos assumidos, alem de ocupar os espaços de tomada de decisão e construção de ações municipais que impactam nas comunidades.

Conheça o Plano Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.