Audiência da CNV colhe depoimentos sobre papel das igrejas durante a ditadura em BH

Assessoria de Comunicação da Comissão Nacional da Verdade com edição de Natasha Arsenio

A Comissão da Verdade em Minas Gerais (Covemg), em parceria com a Comissão Nacional da Verdade (CNV), realizam, nos dias 29 e 30 de novembro, audiência pública sobre o papel das igrejas durante a ditadura. A atividade acontece no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Belo Horizonte, a partir das 19h. A audiência, que tem o objetivo de ouvir doze pessoas que sofreram ou presenciaram graves violações de direitos humanos no regime militar, terá a presença dos assessores da CNV Luci Buff e Anivaldo Padilha, sócio de KOINONIA.

Após a abertura às 19h30 do dia 29, serão colhidos os depoimentos da fundadora e secretária do Movimento Feminino pela Anistia e membro da Ordem Franciscana Secular, Maria Zélia Castilho, e da militante dos movimentos da Juventude Estudantil Católica e da Juventude Operária Católica, Angelina Leite.

No sábado (30) será feita uma homenagem a Renato Godinho Navarro e a esposa Maria Helena de Coutinho pelo testemunho de superação. Godinho foi militante da Ação Popular (AP), organização que o levou a trabalhar como operário em Contagem, Minas Gerais. Ele também foi preso no segundo semestre de 1968 quando a polícia invadiu a igreja onde se realizava uma assembleia de metalúrgicos.

Outro destaque na colhida de depoimentos é o dominicano que participou e apoiou a luta contra a ditadura, Frei Oswaldo Augusto Rezende. Ele sofreu várias ameaças e inquéritos militares, além de ter sido um dos principais responsáveis pela relação entre os dominicanos e a Aliança Libertadora Nacional.

Durante a audiência, também serão ouvidos Maria Helena Magalhães, Pedro Miguel Rojo, Berta Goifman, Michel Le Ven, Apolo Lisboa, Emely Vieira, Márcio Alves e Alberto Duarte.

Grupo de trabalho: Papel das igrejas durante a ditadura
O grupo examina a postura política de instituições religiosas e seus integrantes em relação ao regime ditatorial. Busca esclarecer a participação de instituições religiosas cristãs e/ou de suas lideranças clérigas ou leigas, tanto no apoio a movimentos de resistência à ditadura, quanto na contribuição à repressão, analisando os fatos e as circunstâncias de graves violações de direitos humanos correlatos ao seu tema.

SERVIÇO:
Audiência Pública O papel das igrejas durante a ditadura
Quando: 29 e 30 de novembro
Horário: Dia 29 às 19h e dia 30 das 9h às 19h
Onde: Auditório da OAB
Endereço: Rua Albita, 260, Bairro Cruzeiro – Belo Horizonte.
Transmissão ao vivo: http://www.twitcasting.tv/CNV_Brasil 

Saiba como foi a audiência no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.