Terreiros: Direito à memória

Helena Costa

Desde o ano passado KOINOINIA desenvolve oficinas com os terreiros que atende em Salvador para organização do acervo das Casas. No mês de maio, entre os dias 14 e 18, novos encontros foram realizados, desta vez ministrados pelas multiplicadoras já formadas por KOINONIA.

 

No Ilê Axé Pondamim Bominfá participaram 15 pessoas, entre crianças e adultos, para alegre surpresa da equipe. Durante um dia inteiro os filhos da Casa foram orientados pelas multiplicadoras Rutelene Rita dos Santos (do Manso Dandalunda Cocuazenza) e

Adriana Santos (do Ilê Axé Iyá Nassô Oká – Casa Branca) sobre cadastro e armazenamento de livros, revistas e jornais, fotografias, documentos administrativos e materiais digitais (disquetes, cds, dvds, etc.). Ao final da oficina, Marivone de Jesus Silva, filha da casa, passou a integrar a equipe de multiplicadoras.  Andréa Oliveira, bibliotecária de KOINOINIA, e Solange Simonato, voluntária, acompanharam toda a atividade e avaliaram de maneira positiva a atuação das multiplicadoras.

 

As integrantes do Núcleo de Documentação reuniram-se com Márcia Fecury, do Terreiro Tanuri Junsara, para o primeiro contato com o Minibiblio, programa de computador para o gerenciamento de bibliotecas.

 

No Terreiro de Jauá a oficina foi ministrada por Adriana, Rutelene e Andréa Oliveira. Caso raro entre os Terreiros, esta Casa possui toda a infra-estrutura necessária para o tratamento do acervo – digitalização dos documentos, instalação do Minibiblio, além de local adequado para o armazenamento do material.

 

A próxima atividade prevista neste projeto de memória é uma reunião de avaliação com todas as multiplicadoras e multiplicadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.