Seminário : Juventude de Terreiro

Manoela Vianna

 KOINONIA promoverá amanhã, 24 de novembro, o seminário Juventude de Terreiro.  O evento acontecerá de 9:00 as 17h no Grande Hotel da Barra, em Salvador (BA).

Programação:

9h Abertura / saudação
9:20h Apresentação
10h Qual a realidade da juventude de candomblé? –  Grupos de trabalho
12h Almoço
13:30h Apresentação da sistematização dos Grupos de trabalho
14h Com a palavra a juventude
Beto Rocha – REJU (Rede Ecumênica de Juventude)
Geovan Bantu – Forum de Juventude Negra
Ricardo Andrade – Movimento Hip Hop
15h Roda de conversa
16h Arte Brasil Capoeira – Mobilização para ato público – Lançamento da campanha “AGÔ Juventude de Terreiro Contra Intolerância Religiosa”
 
O seminário é um desdobramento de um trabalho que KOINONIA vem desenvolvendo há dois anos com jovens de terreiros de candomblé, organizações de juventude e movimentos de direitos de adolescentes para promover justiça ambiental.  
 
Saiba mais sobre esse processo lendo o artigo do assessor de KOINONIA Jorge Atilio Iulianelli
 
Juventudes urbanas promovendo justiça socioambiental: desafio e ousadia
Jorge Atilio* 
 
Nas cidades de Salvador (BA), Paulo Afonso (BA) e Delmiro Gouveia (AL), jovens organizados a partir de terreiros de candomblé, organizações de juventude, movimentos de direitos de adolescentes e, até mesmo, uma organização não governamental de jovens, articulados por KOINONIA-Presença Ecumênica e Serviço há dois anos vêm insistindo em refletir e agir para promover justiça socioambiental. Não é nada simples e nem tem o mesmo ritmo. Cada situação das juventudes é muito específica e cada forma de organização traz suas marcas.
 
Em Salvador não havia uma tradição dos terreiros de articulação das juventudes. Processos formativos que visem fortalecer o protagonismo cidadão das juventudes de terreiro têm esse desafio. A articulação de juventudes do Abassá de Ogum, Casa Branca, Manso Dandalunga, São Roque, Viva Deus Bisneto e outras casas, todas com jovens da periferia, aceitaram esse desafio. No ano de 2011, apesar de muitas dificuldades, houve várias ações, dentre as quais um torneio de futebol pelos direitos dos jovens, promovido pelos jovens dos terreiros Abassá de Ogum e Manso Danda Lunga, na Estrada Velha do Aeroporto. Neste ano de 2012, primeiro reunindo jovens na Casa Branca e no São Roque, houve uma pequena ação na feira de Saúde, na Casa Branca, em setembro. 
 
Numa nova modalidade, foram reunidos jovens do São Roque, Casa Branca, Sossego, e esses jovens foram ainda mais ousados, e promoveram uma campanha: Agô, jovens de terreiro contra a intolerância religiosa. Esta campanha será lançada dia 24 de novembro, durante o Seminário de Direitos de Juventude de Candomblé. Há também duas iniciativas em curso, visando a afirmação dos direitos socioambientais das juventudes. No Viva Deus Bisneto, a formação de jovens capoeiristas, também capazes de fabricar berimbaus – uma arte política, e de responsabilidade socioambiental. A outra, em fase de organização, é a preparação de jovens percursionistas, que além de aprender os toques sagrados, poderão produzir um afoxé, a partir do Abassá de Ogum. Em Salvador, a jovem Naiara Soares, facilitadora jovem, e Maria da Conceição Freitas, assistente de KOINONIA em Salvador, têm acompanhado essas atividades.
 
Na cidade de Paulo Afonso, a Repensar tem sido a parceira de KOINONIA. Neste ano, a jovem Raíra se destacou como animadora/facilitadora do curso de agentes culturais. Várias ações que a Repensar realizou em Paulo Afonso são fruto desse curso. Neste ano, uma das atividades foi uma campanha de arrecadação de alimentos, realizada em maio, que coletou mais que uma tonelada de alimentos. Esses alimentos foram distribuídos na periferia da cidade de Paulo Afonso, entre as populações mais vulnerabilizadas socioambientalmente. 
 
Na cidade de Delmiro Gouveia, há jovens das periferias rururbanas e urbanas. Participam da articulação de jovens o MAC, a Garagem Hip Rock, a Pastoral de Juventude no Meio Popular, dentre outros grupos, têm participado das atividades de formação e das atividades produtivas desenvolvidas por meio dessa campanha. No ano de 2012, foi iniciada a atividade produtiva com os jovens do MAC. Essa atividade tem um aspecto lúdico-produtivo, de educação ambiental, que inclui o fabrico, treino e uso de pernas de pau. Eles também estão produzindo camisetas off-set, com preocupação ambiental nesta produção.
 
São jovens de 15-29 anos, que se articulam ao redor de sonhos, esperanças e práticas sociais transformadoras. Eles identificam que a realidade social das juventudes das periferias urbanas inclui a violência letal, os efeitos perversos das políticas de drogas, a inadequação de um sistema educacional classista e repressor, a crise socioambiental que deixa as periferias reféns de desastres ambientais, falta de saneamento, poluição sonora, do ar e do solo. Efetivamente, essas juventudes sabem da necessidade de produzir formas de convivência que permitam bela vivência da sexualidade com promoção da prevenção das DST/AIDS, sem prejuízo dos direitos de gênero e direitos sexuais. Finalmente, essas juventudes se colocam o desafio de pensar a inclusão social, para um mundo no qual caibam todas e todos. Um mundo no qual todas as intolerâncias sejam superadas, também seja superada a intolerância religiosa, porque os jovens também estão convencidos que não haverá paz no mundo, sem paz entre as religiões.
 
* Assessor de KOINONIA, Doutor em Filosofia pela UFRJ, Professor do PPGF da Universidade Gama Filho, autor de diversos artigos sobre a temática ética e de livros sobre sociologia da juventude e da violência.
 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.