Seminário debate sexualidades e espiritualidades (SP)

Márcia Evangelista

No dia 30 de julho, foi realizado na Câmara Municipal de São Jose dos Campos (SP), o Seminário Sexualidades e Espiritualidades. O evento foi uma iniciativa de KOINONIA e SOS Mulher de São José dos Campos, com apoio do Programa Estadual DST/Aids de São Paulo.

Com cerca de 35 participantes, o Seminário teve como objetivo a troca de saber sobre a sexualidade e espiritualidade nas diferentes religiões. Para isso contou com a presença no debate de Rafael Soares de Oliveira (Diretor Executivo de KOINONIA e representante do Candomblé), Jorge Atílio Iulianelli (Assessor de KOINONIA e Teólogo Católico), Bacar Queta (Islã – Muçulmano) e Zwinglio Dias (Assessor de KOINONIA e Pastor Protestante).

Sexualidades e Espiritualidades

Este foi o tema que lideranças religiosas de diferentes tradições puderam debater com inteligência, falando sobre a grande possibilidade de convergência entre elas e da relação fraternal que pode surgir na diversidade, podendo ajudar homens e mulheres a viverem seus sentimentos corporais e espirituais. Para o Ogã Rafael Soares de Oliveira, a sexualidade e a espiritualidade à luz da religião do Candomblé, é uma conexão entre espírito e corpo: “É uma coisa normal, que não permite tratar o sexo como um tabu. A prática da sexualidade acontece de maneira natural, com base na moral e na amizade”. O Teólogo Católico Atíllio Iulianelli, trouxe para o debate a reflexão histórica da sexualidade na tradição cristã. De sua fala destaca-se a referência: “Se a natureza é um algo divino, sexo é natural e, portanto, é um algo divino”. Ao fechar a sua explanação, Atílio destacou a necessidade de darmos início a uma reflexão com perspectiva crítica da sexualidade nos seus aspectos mais abrangentes. Bacar Queta, Muçulmano, preocupou-se primeiramente em explicar o que é o Islã, mostrando que o Islã é simplesmente uma religião de paz, misericórdia e perdão. Ele destacou que há um grande preconceito, gerado pela mídia e pela pouca divulgação da própria religião. Em relação à sexualidade, explanou sobre os direitos da mulher no Islã, ressaltando que o uso do preservativo só é permitido entre o casal e é restringida qualquer forma de estigma e discriminação de pessoas soropositivas. Em seguida, o Reverendo Zwinglio Dias, representando a tradição Protestante, trouxe uma retrospectiva dos momentos que marcaram o aparecimento do Protestantismo e o quanto a doutrina Calvinista influenciou à sociedade e à religião, “O corpo é considerado o templo do Espírito Santo, a morada de Deus. Não existe conflito entre o corpo e o Espírito humano: ambos são faces de uma mesma realidade, unos e indivisíveis”, ressaltou Dias.

Colaboração de Ester Lisboa, Assessora do Programa S&D de KOINONIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.