Roda de Diálogo do PAD

Márcia Evangelista

O PAD – Processo de Articulação e Diálogo das Agências Ecumênicas européias e seus parceiros no Brasil, reuniu-se em São Paulo, nos dias 14 e 16 de março, em uma Roda de Diálogo. Na oportunidade foi avaliado o processo e foram feitas projeções para os próximos ano e meio, tanto relativas à própria continuidade do processo, como sobre as relações desse processo com outros parceiros, especialmente com ACT Aliança.

As análises sobre o momento vivido pelo PAD e suas organizações teve como síntese:

  • O Contexto Brasileiro complexo e diverso, de desigualdades e contradições, e o Contexto Global Multipolar, que desafia a mostrar internacionalmente mais que o discurso/imagem único do Governo Brasileiro;
  • As Agências Ecumênicas do PAD tem sede no Brasil, mas o campo que historicamente recebeu seu apoio sofre hoje de um enfraquecimento em sua sustentabilidade. Isso implica no desafio de que as alianças entre as organizações e agências que apostam no PAD devam se intensificar nas seguintes áreas:

– No reforço e explicitação dos acúmulos do PAD

– Num reforço dos processos de recomposição histórica do “nosso campo político”, fragmentado, e das disputas de sentido e antecipação de agendas ideológicas opostas ao “campo”, p ex.: criminalização, apropriação de conceitos…

– Numa agenda comum de Denúncias e Campanhas – em oposição ao modelo de desenvolvimento e às violações dos DhESCA

– Na eleição de temas comuns de diálogo e cooperação, a exemplo do recorrente desafio do tema ambiental.

– Em uma definição de forma de relacionamento com a Aliança ACT.

– Nas novas oportunidades, a exemplo dos processos gerados internamente aos Grupos de Trabalho (GTs) de ACT e da iniciativa do GT (ex Aprodev) em ACT;

– No enfrentamento da agenda de relações entre emergências e desenvolvimento a longo prazo.

A partir dessas análises, definiu-se como principal foco para os novos planos do PAD, esforçar-se por mostrar o “Brasil Real”,  tanto como um espelho para suas reflexões e articulações no Brasil como para as relações internacionais. O PAD se propõe a tecer, de forma reflexiva e em movimentos, campanhas e conexões, a composição do campo da sociedade que se mantém em luta pela conquista e afirmação dos DHESCA, que para muitos tem resultado em deslegitimação e até mesmo criminalização.

O Diretor Executivo de KOINONIA Presença Ecumênica e Serviço, Rafael Soares de Oliveira, participou da “Roda” como coordenador do PAD Sudeste, enquanto que o Assessor de KOINONIA, Jorge Atílio Iulianelli, esteve presente como um dos representantes do Grupo de Trabalho Ecumenismo, Direitos e Desenvolvimento do PAD.

O que é o PAD

O PAD – Processo de Articulação e Diálogo é uma rede formada por sete agências ecumênicas européias de distintos países e por diversas entidades parceiras no Brasil, representantes de movimentos sociais, entidades ecumênicas e organizações não-governamentais (ONGs), atuantes na Amazônia, nas regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste. Atualmente o PAD é composto por 165 organizações parceiras no Brasil, distribuídas da seguinte forma: Regional Amazônia, 19 organizações. Regional Centro-Oeste, 13 organizações. Regional Nordeste, 33 organizações. Regional Sudeste, 82 organizações e, Regional Sul, 18 organizações.

Criado em 1995, o PAD orientou sua atuação na busca da promoção de uma nova cultura de diálogo multilateral e na construção de um espaço de compreensão das políticas de cooperação internacional. O ecumenismo e o multilateralismo sempre foram valores norteadores desta articulação. A inteiração e a parceria ativa entre agências de cooperação e parceiras brasileiras é um valor intrínseco a estrutura da rede, que se pauta pela busca de uma nova solidariedade entre o Sul e o Norte.

O diálogo tem se firmado como elemento essencial para a construção de um trabalho comum que favoreça o combate às desigualdades e a busca por afirmação dos direitos humanos. A rede tem se firmado como um espaço de capacitação e produção de conhecimento entre as organizações no Brasil e as agências na Europa.

O PAD organiza sua atuação a partir de dois eixos temáticos: Direitos Humanos e Sustentabilidade Institucional. O eixo DH foi formulado como um desafio para todo o PAD, ao colocar a questão a partir de uma política de reconstrução da cidadania, na qual os direitos constituem a base para um modelo de desenvolvimento sustentável.

O eixo Sustentabilidade Institucional (SI) foi tratado articuladamente ao eixo DH, no sentido de fortalecer o processo de construção de uma nova institucionalidade no âmbito das organizações parceiras. O investimento em relação ao SI como fortalecimento das capacidades e ações da sociedade civil organizada, para a promoção das transformações sociais resultou no desenvolvimento de conceitos essenciais para a compreensão do papel e da atuação de cada ator envolvido no processo, em sua realidade local e na parceria conjunta.

Saiba mais: www.pad.org.br

 

Com informações da coordenação do PAD Sudeste e site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.