Resultados da pesquisa do TRD

Manoela Vianna

Resumo executivo da pesquisa Ações Juvenis para Superação da Violência na região do Submédio São Francisco

Período: Outubro 2004 – Agosto 2005

A pesquisa contou com processo de formação de pesquisadores jovens. Os pesquisadores aplicaram questionários estruturados, com questões abertas, semi‑abertas e fechadas a um conjunto de 712 entrevistados, num universo estimado de 840 pessoas.

Os selecionados para a aplicação do questionário atendiam à dinâmica de grupos de controle.

Como a pretensão era avaliar as percepções da juventude rural da região, aplicamos o questionário a jovens que participaram de alguma das atividades promovidas por KOINONIA/Pólo Sindical na região, jovens que nunca tiveram contato direto com essas atividades, e para adultos especialmente vinculados à temática (superação da violência) e ao público (juventude camponesa sertaneja nordestina do SMSF).

Esta pesquisa destinava‑se, também, a mensurar os impactos da ação de KOINONIA junto à juventude sertaneja camponesa nordestina na região do SMSF.

Durante os últimos nove anos KOINONIA desenvolveu uma série de ações socioeducativas de caráter político‑organizativo e de formação para ação cultural.

Por meio do instrumento utilizado temos uma avaliação dos impactos destas modalidades formativas para a alteração de mentalidade e atitudes, bem como para a construção de valores que embasem ações sociais transformadoras e promotoras do desenvolvimento rural sustentável.

Para KOINONIA, a juventude camponesa é cidadã e agente cultural, além de ator produtivo. Por isso, a formação deve conter caráter holístico.

Em relação à percepção da violência observou‑se que os principais resultados foram:

92,4% das pessoas entrevistadas já ouviram falar de violência na região do Submédio de São Francisco.

85,5%  das pessoas do Submédio São Francisco entrevistadas indicam o alcoolismo como elemento causador de violência na região.

Os entrevistados indicaram em 34,4% as pessoas em geral como responsáveis pela violência na região do Submédio de São Francisco.

34,1% indicaram o governo como responsável pela violência na região do Submédio de São Francisco.

A polícia é indicada, pelas pessoas entrevistadas, como responsável pela violência na região do Submédio de São Francisco, em 31,6%.

29,1% indicaram os políticos como responsáveis pela violência na região do Submédio de São Francisco.

Para avaliar o grau de violência na região construiu-se uma escala de 0 a 10. A média construída pelos respondentes foi de 5,95. Isso indica uma situação preocupante de violência.

68,8% dos respondentes concordam inteiramente que a sociedade deve controlar a violência por meios pacíficos.

Sobre as possibilidades de superação da violência tivemos as seguintes principais indicações:

90,4% das pessoas entrevistadas acreditam ser possível a superação da violência.

50,4% dos entrevistados indicam que as pessoas em geral são as responsáveis para superação da violência.

86,5% dos entrevistados afirmam que valorizar os sentimentos religiosos potencializam a superação da violência.

93,4% das pessoas entrevistadas indicam que policiais treinados em direitos humanos contribuem para a superação da violência.

Educação para a Paz é indicada por 91,9% dos entrevistados como contribuição para a superação da violência.

Relativamente aos impactos das ações temos o seguinte :

68,6% dos entrevistados reconhecem as ações desenvolvidas por KOINONIA/Pólo.

Nenhuma das ações desenvolvidas por KOINONIA/Pólo teve um reconhecimento inferior a 10%.

71,6% dos entrevistados afirmam que as ações juvenis desenvolvidas por KOINONIA/Pólo cooperam para a superação da violência.

77,2% dos entrevistados as ações desenvolvidas por KOINONIA/Pólo estimulam o envolvimento dos jovens com a escolarização.

93,7% das pessoas entrevistadas indicam que as ações de organizações populares podem contribuir para a redução da violência na região do Submédio São Francisco.

70,1% dos respondentes afirmam que as ações desenvolvidas por KOINONIA/Pólo contribuem para que os jovens não se envolvam no plantio da maconha.

56,9% das pessoas entrevistadas afirmam que as ações de KOINONIA/Pólo cooperam para reconhecer os direitos dos jovens camponeses envolvidos no plantio de maconha.

Os dados que dispomos indicam que as pessoas da região do Submédio São Francisco, a partir da referência dos municípios investigados (Rodelas e Macururé, no estado da Bahia; Jatobá, Floresta, Belém do São Francisco, Orocó e Santa Maria da Boa Vista, no estado de Pernambuco), consideram a região com um grau de violência preocupante.

Foi oferecida a nota 5,95 para a situação da violência na região.

Ficou indicado que percebe-se a possibilidade da superação da violência. O principal modelo de ação social para este propósito é o sócio‑educativo.

Bem como, se indicou que ações favoráveis à sociabilidade (lazer, diversão, conhecimento de novas pessoas e formação de amizade) favorecem a superação da violência.

Por esse motivo é conseqüente à avaliação realizada sobre o papel das ações de KOINONIA Presença Ecumênica e Serviço com a juventude camponesa sertaneja nordestina de promover a superação da violência naquela região do Polígono da Maconha, juntamente ao Pólo Sindical dos Trabalhadores Rurais do Submédio São Francisco.

O relatório final, dessa pesquisa, possui 85 páginas e será publicado conjuntamente ao relatório de sistematização de resultados, realizado em 2002.

Saiba mais sobre essa pesquisa lendo a notícia:

Concluída pesquisa com juventude sertaneja

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.