Reju participa de encontro de Hip Hop e de Curso de Verão

Márcia Evangelista

Foi realizado entre os dias 28 e 31 de janeiro, o 3º Encontro Nacional da Nação Hip Hop, na cidade de São Vicente (SP). Os jovens Priscila Batista (Profec – Região Sudeste) e Timoteo Greff (Trilha Cidadã – Região Sul) estiveram presentes ao encontro como representantes da Rede Ecumênica de Juventude – Reju. O encontro contou com a participação de jovens de diversas partes do país e do exterior.

O objetivo do 3º Encontro Nacional da Nação Hip Hop foi mostrar para a sociedade que o Hip Hop é um movimento cultural que pode e faz a diferença na vida de muitas pessoas nos dias de hoje, e que busca a sua organização política, sem deixar que a sua cultura caia nas mãos de empresários que querem institucionalizá-la, como já foi feito com o samba e outras culturas.

No encontro foram discutidos vários temas como: “Hip Hop Passado, Presente e Futuro”, ”Liberdade de Expressão”, “Lugar de Mulher é na Cozinha ou no Hip Hop?”, articulado a temas como educação, sexualidade, juventude encarcerada, políticas públicas para a periferia e etc. Também foram realizadas oficinas de graffiti, apresentação de filmes e mostras culturais. Na parte da noite, aconteceram shows de vários grupos de Hip Hop e Rap de todo o país e alguns internacionais.

Durante o 3° Encontro Nacional da Nação Hip Hop os jovens participantes viram e aprenderam que atitude, boas idéias e determinação podem transformar a realidade de muita gente que não tem espaço na sociedade. E para que as transformações aconteçam, devem ser criados espaços dentro das escolas e faculdades, que possibilitem uma reflexão mais ampla das temáticas da cultura Hip Hop. O encontro também destacou a importância de se criar leis que garantam a sobrevivência da cultura Hip Hop dentro dos estados, seguindo o exemplo do estado do Rio Grande do Sul.

O Hip Hop, como qualquer outro espaço de militância, não pode fechar os olhos para estas questões, assumindo de fato espaços políticos dentro de instituições não governamentais, políticos partidários, cargos públicos, etc. Mais do que nunca o mundo tornou-se uma grande rede, e agora temos que estar sempre atentos para que nenhum elo desta rede se rompa.

A Rede Ecumênica de Juventude – Reju – ganha espaço dentro do movimento Hip Hop justamente quando o mesmo abre espaço para discussões que são pertinentes à Reju como, por exemplo, temas voltados para homofobia, gênero, diversidade religiosa e étnica racial e debates sobre o quanto a juventude esta sendo marginalizada, pelo fato de não terem os seus direitos garantidos em Lei.

Reju no 13º Curso de Verão do Cesep

“Política e Comunidades Humanas: por uma prática transformadora”

Com este tema, foi realizado em São Paulo no início de janeiro, mais um Curso de Verão, promovido pelo Cesep, com a participação de centenas de jovens, vindos de todo o Brasil, provenientes de tradições religiosas, Ongs e movimentos sociais.

Entre os(as) participantes, estavam os representantes da Reju SP: Lidia Lima, Priscila Campanaro, Isaac Bastos e Lucas Bertolino. A participação dos(as) nossos(as) jovens deveu-se à parceria estabelecida entre a Reju e o Cesep, durante o Encontro do FE Brasil, em agosto de 2009.

O tema do Curso de Verão 2010 possibilitou muitas reflexões e intuições. O grupo da Reju SP destacou o seu encantamento com as reflexões teológicas feitas por Frei Betto e Lucho Torres Bedoya. Ambos estimularam os(as) participantes a realizarem leituras bíblicas, abrindo mão dos paradigmas e preconceitos criados pelas instituições.

“A Bíblia precisa ser lida com os pés no chão, sendo constantemente associada com as necessidades de nossas comunidades, valorizando o amor e diversidade, marcas de Deus em nós!”, afirma Lídia Lima.

Ao final, dois desafios foram lançados aos(às) participantes: a necessidade de resgatar o valor da militância junto as nossas comunidades e a organizações, e a consciência de que precisamos lutar por uma nova ética, baseada no amor, na cooperação e na fraternidade.

Rede Ecumênica da Juventude e FE Brasil

A Rede Ecumênica da Juventude pela Promoção dos Direitos Juvenis é uma iniciativa do FE Brasil e busca reunir jovens representantes de diferentes localidades, movimentos, religiões e entidades, tendo em vista que essa parcela da população sofre inúmeras violações de direitos. São objetivos da Rede: fortalecimento político das ações das juventudes; apoio e intercâmbio para a garantia de direitos das juventudes; estimular a capacitação e articulação das juventudes para que ocupem espaços de protagonismo em meio à institucionalidade governamental e não-governamental; e ser um organismo de debate e reflexão sobre a violação e superação dos direitos da juventude.

O FE Brasil é um Fórum Ecumênico composto por igrejas, conselhos de igrejas e organizações ecumênicas, entre elas KOINONIA, que busca fortalecer o campo ecumênico, promovendo ações que favoreçam o diálogo inter-religioso e promovam justiça e paz. O Fórum acredita que o Estado brasileiro reconhece a necessidade e promove políticas públicas para a juventude, mas na prática essas ações ainda são incipientes ou desconhecidas pelos que seriam os seus maiores beneficiados.

Saiba mais sobre a REJU acessando: redeecumenicadajuventude.org.br

 

Com informações da Rede Ecumênica de Juventude

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.