Quilombolas da Marambaia em Brasília

Helena Costa

Quilombolas da Marambaia vão à Brasília para garantir direito à terra

A comunidade remanescente de quilombos da Ilha da Marambaia (Mangaratiba – RJ) está em Brasília realizando audiências públicas e visitas a diversas autoridades governamentais. O objetivo da viagem é garantir que sejam ouvidas as reivindicações dos quilombolas, pois negociações políticas entre a Casa Civil e a Marinha podem impedir a titulação da área reivindicada pela comunidade. Essas negociações têm acontecido sem a participação da comunidade. O direito às terras foi confirmado no Relatório técnico do Incra, já concluído e ainda não publicado. A conclusão desse relatório é fundamental para conferir o título de propriedade aos quilombolas.

Estão confirmadas audiências da comunidade com representantes dos seguintes órgãos governamentais: Casa Civil; Comissão de Populações Tradicionais do Ministério do Meio Ambiente; Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados Federais; Procuradoria da Fundação Cultural Palmares.  Os quilombolas também se reunirão com Dr. Perli Cipriano, representante da Secretaria  de Direitos Humanos, senador Paulo Paim (PT-RS) e Dra. Ela Wiecko, da Procuradoria dos Direitos do Cidadão. Um encontro com o representante do Incra Nacional, Dr. Rui Leandro, também está agendado.

As audiências e visitas às autoridades governamentais são ações da Campanha Marambaia Livre! articulada por entidades da sociedade civil como KOINONIA, FASE e COHRE (Centro pelo Direito à Moradia contra Despejos) que se uniram à ARQIMAR (Associação de remanescentes de quilombos da Ilha da Marambaia) e à ACQUILERJ (Associação de Comunidades Quilombolas do Rio de Janeiro) para pressionar o governo a garantir a permanência dos quilombolas em seu território, direito previsto no artigo 68 da Constituição Federal e regulamentado pelo Decreto 4887/2003 de autoria do Presidente Luís Inácio Lula da Silva.

Até o início desta semana a Campanha não conseguiu confirmar encontros com representantes da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) que vem demonstrando resistência a tratar do caso diretamente com a comunidade. As audiências e visitas as autoridades em Brasília, realizadas de 27 à 29 de junho, serão encerradas com um ato ecumênico em defesa da garantia dos direitos dos quilombolas da Ilha da Marambaia.

Programação das visitas e audiências da comunidade quilombola da Ilha da Marambaia públicas confirmadas:

27 de junho (terça-feira):

9:00 Audiência com Procuradora Ana Maria Oliveira (Fundação Cultural Palmares)C

10:30 Audiência com Dr. Perli Cipriano (Secretaria de Estados de Direitos Humanos)

 

28 de junho (quarta-feira):

9h Audiência com senador Paulo Paim

9h Dr. Rui Leandro (Incra)

10:30h Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados

11:30 Dra. Ela Wiecko (Procuradoria dos Direitos do Cidadão)

14:30h Comissão de Populações Tradicionais do Ministério do Meio Ambiente

15:30H Chefe de Gabinete do Ministério da Defesa

 

29 de junho (quinta-feira):

10h Casa Civil

Tarde: Ato Ecumênico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.