Lançamento da ACT Aliança no Brasil

Márcia Evangelista

O dia primeiro de janeiro de 2010 marcou a data do início do funcionamento legal de uma grande aliança de organizações de ajuda humanitária e desenvolvimento. Trata-se da ACT Aliança, um conjunto de várias igrejas e organizações ligadas a igrejas que trabalham em ajuda humanitária e projetos de desenvolvimento. O lançamento mundial desta nova aliança vai acontecer no dia 24 de março, quarta-feira, das 9h30 ás 12h00, no Hotel Deville – Avenida dos Estados, 1909 – Porto Alegre/RS (próximo ao aeroporto).

KOINONIA Presença Ecumênica e Serviço é parte do conjunto de organizações que formam hoje a Aliança ACT, composta por mais de 100 organizações em todo o mundo e com ações desenvolvidas em 125 países. A Aliança ACT resulta da junção de ACT Internacional (voltada ao atendimento de emergências) + ACT Desenvolvimento (voltada a promoção do desenvolvimento em regiões fragilizadas). Dessa forma, a Aliança ACT passa a atender as áreas de emergência e desenvolvimento. A junção destas duas entidades que busca fortalecer grupos excluídos da sociedade, colocou as duas dimensões de atuação em uma só entidade – a Aliança ACT.

Participam do lançamento da ACT Aliança no Brasil as seguintes organizações: KOINONIA Presença Ecumênica e Serviço, Coordenadoria Ecumênica de Serviço – CESE, Fundação Luterana de Diaconia – FLD, Norwegian Church Aid, Christian Aid e Conselho Latino Americano de Igrejas – CLAI. O lançamento tem ainda o apoio do Conselho Mundial de Igrejas e da Federação Luterana Mundial.

 

ACT: Uma nova aliança em favor da dignidade humana

Marcelo Schneider *

O dia primeiro de janeiro de 2010 marcou a data do início do funcionamento legal de uma grande aliança de organizações de ajuda humanitária e desenvolvimento. O lançamento mundial desta nova aliança vai acontecer no dia 24 de março. Trata-se da ACT Alliance, um conjunto de várias igrejas e organizações ligadas a igrejas que trabalham em ajuda humanitária e projetos de desenvolvimento.

ACT é resultado de uma dinâmica peculiar no mundo ecumênico ao longo das últimas três décadas. O movimento ecumênico clássico, pautado pelo Conselho Mundial de Igrejas e formado, em sua maioria, por igrejas do mundo protestante e ortodoxo, teve em seu bojo, especialmente a partir dos anos 70, um forte poder de articulação e apoio a projetos sociais e defesa de causas. A maioria das igrejas do hemisfério Norte tinha um departamento, uma instituição própria ou já era associada a alguma organização que se dedicava exclusivamente a projetos desta natureza diaconal. Com o tempo, as igrejas do Sul que eram ajudadas por esses recursos, sentiram a necessidade de organizar a forma como aplicavam tal auxílio, como acompanhavam o andamento dos projetos e como prestavam contas dos mesmos. Isto aconteceu no seio das próprias igrejas e também, de forma associada, através das instituições ecumênicas criadas para a articulação de projetos de desenvolvimento.

O volume de recursos e projetos aumentou ao longo dos anos e a envergadura deste ‘braço diaconal’ dentro do contexto de cada igreja e no movimento ecumênico também foi crescendo, fazendo com que os canais de comunicação e cooperação entre as organizações e agências envolvidas neste ramo fossem se tornando cada vez mais intensos e especializados.

Neste ínterim, a Federação Luterana Mundial, da qual a Igreja Evangélica de Confissão Luterana (IECLB) é membro, através do seu Departamento de Serviço Mundial, movimentou-se com desenvoltura e, muitas vezes, teve gestos de vanguarda, como, por exemplo, quando insistiu que o trabalho de desenvolvimento tem que ser pautado pelo respeito à dignidade humana e a conscientização dos direitos e responsabilidades de cada comunidade. Esta abordagem que prioriza os direitos expressa a convicção de que as pessoas ajudadas não são objetos de caridade, mas indivíduos que devem ser tratados com respeito e dignidade.

Percebeu-se que o trabalho de todos dividia-se, em grande escala, em dois setores bem claros: ajuda humanitária em situações de emergência e catástrofes e o trabalho de desenvolvimento. O primeiro setor (ajuda humanitária) organizou-se mais rapidamente e, em 1995, motivados pela busca de uma resposta mais eficaz ao genocídio em Ruanda, formando a Ação Conjunta de Igrejas (ou, em inglês, Action by Churches Together) – ACT International, que reunia, até o final de 2009, 128 organizações nas principais regiões do planeta (África, América do Norte, América Latina & Caribe, Europa, Oriente Médio, Ásia e Pacífico). Desde o início, ACT International definia-se como uma aliança de organismos da membresia do Conselho Mundial de Igrejas e da Federação Luterana Mundial. Os membros de ACT International eram igrejas, conselhos nacionais ou regionais de igrejas, organismos ecumênicos ou instituições de diaconia ligadas diretamente as igrejas.

O outro lado deste trabalho de ajuda era o relacionado a projetos de desenvolvimento, com proposta de médio e longo prazo, que valorizavam o protagonismo dos grupos auxiliados e têm como alvo a autosustentabilidade do projeto. É neste grupo que encontram-se as organizações-membro de ACT no Brasil (FLD, CESE, Koinonia) .

Em fevereiro de 2007, a exemplo de ACT International, estas organizações que trabalham na área de desenvolvimento reuniram-se legalmente para a formação de ACT Desenvolvimento (ou, em inglês, development). A FLD estava presente na assembléia de fundação de ACT Development e acompanhou de perto todo o trabalho desenvolvido até a decisão pela fusão com ACT International, na assembléia de maio de 2009, em Buenos Aires/Argentina. Até o final de 2009, ACT Development contou com uma membresia de 74 organizações.

A idéia de uma junção entre ACT International e ACT Development surgiu a partir da constatação de que muitas das principais agências financiadoras de projetos eram membros das duas alianças e que, a partir de tal unificação, poderiam inaugurar uma nova fase de gerenciamento mais eficiente de recursos.

A decisão pela criação da nova aliança se deu em duas etapas, nas assembléias gerais de cada um dos organismos. Em caráter praticamente unânime, os membros decidiram pela unificação, criando, assim, uma rede que tem potencial de colocar a relação de temas de religião e desenvolvimento em alto patamar na agenda internacional. A envergadura de ACT Alliance se traduz em números. O orçamento de todas as organizações juntas se aproxima de US$ 1,5 bilhão, envolvendo mais de 30.000 funcionários em 125 países ao redor do mundo.

Conforme afirmou o recém-eleito secretário geral da ACT Alliance, e ex-diretor de ACT International, John Nduna, após a decisão favorável à unificação por parte de ACT Development, em Buenos Aires, “ACT salva milhares de vidas a cada ano. É impossível dizer exatamente quantas. A mágica de ACT é a cooperação com as igrejas ao redor do mundo. Quando a maioria das estruturas ao redor falha, as igrejas permanecem de pé, operando e trabalhando junto aos necessitados. É isso que nos torna únicos.”

A Aliança ACT resulta da junção de ACT Internacional (voltada ao atendimento de emergências) + ACT Desenvolvimento (voltada a promoção do desenvolvimento em regiões fragilizadas). Dessa forma, a Aliança ACT passa a atender as áreas de emergência e desenvolvimento. A junção destas duas entidades que busca fortalecer grupos excluídos da sociedade, colocou as duas dimensões de atuação em uma só entidade – a Aliança ACT.

“Assim como em muitos lugares, a sociedade na América Latina está passando por uma série de desafios. A crise econômica e desastres naturais têm afetado diretamente nossas vidas e a sobrevivência diária de um grande número de pessoas. Ao mesmo tempo, sentimos esperança quando percebemos que as relações políticas entre o Norte e o Sul estão mudando. É uma benção ver que nesses tempos tão difíceis estamos sendo fortalecidos como parte do movimento ecumênico internacional. É uma benção ter amigos que estão preocupados conosco, com o nosso bem estar, que já expressaram sua solidariedade pela nossa luta por justiça, paz e dignidade humana durante os anos de ditadura que houve nessa região”, disse o Moderador do Conselho Mundial de Igrejas e Presidente da (IECLB), Walter Altmann, na assembléia de criação da Aliança ACT, em Buenos Aires,em maio de 2009.

* Doutor em teologia; Assessor do moderador do Conselho Mundial de Igrejas

 

Rudelmar Bueno de Faria, brasileiro e vinculado à Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), atualmente trabalha na coordenação de projetos do Serviço Mundial da Federação Luterana Mundial, em Genebra/Suíça. Rudelmar esteve (e está) diretamente envolvido em todo processo de criação de ACT Alliance e dispôs-se a responder algumas perguntas sobre o tema.

Quais os motivos que levaram à decisão pela fusão entre ACT Internacional e ACT Desenvolvimento?

Muitas das organizações membros de ACT Internacional eram ao mesmo tempo membros de ACT Desenvolvimento, fazendo com que houvesse duplicação e coincidência no papel de ambas organizações.  A idéia de unificar os dois ACTs foi para fortalecer a coordenação entre os membros e expandir o potencial das igrejas e organizações relacionadas às igrejas no trabalho humanitário e de desenvolvimento, além de promover uma voz compartilhada de incidência política a nível global.

Quem são os principais atores (agências) nesta nova aliança?

Os principais atores deveriam ser as igrejas e organizações locais/nacionais, pois são elas que estão atuando diretamente nos contextos de emergência, exclusão e injustiça. Espera-se que a Aliança ACT caminhe nessa direção.  O processo de estabelecimento da Aliança ACT começou com a participação majoritária de agências européias e da América do Norte, e com organizações globais como a Federação Luterana Mundial (FLM). A FLM é um dos principais atores globais na Aliança ACT.  Ela está localmente enraizada através de suas igrejas-membros, e globalmente conectada através de sua secretaria geral e agências relacionadas.

Como funciona o comitê executivo? Tem quantos membros? Como é o processo de tomada de decisões?

O Comitê executivo é transitório e conta com representantes de quase todos os continentes.  Ele é formado pelos membros dos ex-comitês executivos de ACT Internacional (7 pessoas) e ACT Desenvolvimento (12 pessoas).  A Assembléia da Aliança ACT em 2010 elegerá o seu primeiro Conselho de Governo, o qual será composto de 23 pessoas. Este Conselho elegerá o Comitê Executivo da nova Aliança, que terá no máximo 13 membros. Espera-se que as decisões do Comitê se dêem de forma consensual, mas se isso não for possível será por maioria simples.

Como entender o papel do secretário geral, John Nduna, e de Jill Hawkey, sua vice? Eles não estão duplicando funções?  

Durante o processo de seleção do Secretário Geral e do seu vice houve muita discussão sobre uma possível duplicação de funções.  As descrições de postos foram trabalhadas de forma que os papeis de cada um estivessem bem definidos.  Entretanto, o risco existe e deve ser monitorado pelos moderadores do Comitê Executivo. Espera-se que o Secretario Geral, John Nduna, seja o rosto externo da Aliança ACT, enquanto o seu vice, Jill Hawkey trabalhe com a parte operativa e de gerência da Secretaria. 

ACT é reflexo de uma compreensão da idéia de serviço (diaconia) por parte das igrejas?

Eu não diria que isso é uma realidade ainda.  O processo de constituição de ACT Desenvolvimento não envolveu as igrejas desde o início como deveria ter sido. Elas foram envolvidas mais tarde, com o Conselho Mundial de Igrejas assumindo um papel de liderança. A unificação deixou algumas dúvidas, principalmente por parte das igrejas do Sul. O processo agora está sendo orientado para que ACT seja o reflexo da compreensão diaconal das igrejas protestantes e ortodoxas.

Os membros brasileiros e latino-americanos de ACT têm capacidade de, realmente, influenciar a dinâmica da aliança? Como?

Desde o início, a América Latina jogou um papel fundamental no estabelecimento de ACT Desenvolvimento e, por conseguinte, no processo de unificação.  As experiências na América Latina, de trabalhar holisticamente emergências, desenvolvimento e incidência política, são fundamentais para o futuro da Aliança ACT.  Muitas das políticas criadas para a nova Aliança representam fortemente esta visão integral.  O desafio agora é garantir que o Brasil e outros países latino-americanos assumam um papel preponderante na definição de políticas, influência política e resposta coerente com os princípios norteadores da Aliança.

A assembléia será muito importante. Como a FLM/SM está vendo este processo?

A assembléia é uma oportunidade única para realçar a importância da Aliança ACT como uma expressão viva e ativa do compromisso diaconal cristão em todo o mundo. A FLM/SM está comprometida em assegurar que os princípios da Aliança não sejam entorpecidos por interesses unicamente técnicos. A motivação cristã em nosso trabalho deve ser o eixo principal da primeira Assembléia da Aliança ACT.  

O primeiro grande desafio logístico para a nova aliança está sendo o Haiti. Como os membros reagiram?

A resposta no Haiti não foi somente um desafio para os membros da Aliança ACT, mas para toda a comunidade humanitária internacional, incluindo as Nações Unidas. Como quase todas as organizações, os membros de ACT começaram lentamente, mas agora se pode ver resultados muito positivos por parte de ACT e devido ao espírito cooperativo e de coordenação entre os seus membros. Os desafios logísticos são preocupações menores se comparados com os desafios políticos naquele país.  A necessidade de soluções duráveis é parte dos planos de trabalho de ACT no Haiti.  Muitos dos membros de ACT perderam seu pessoal e seus escritórios. A FLM está coordenando o trabalho de ACT no país.

SERVIÇO:

Lançamento da ACT Aliança no Brasil

Data: 24 de março de 2010

Hora: 9h30 – 12h00

Local: Hotel Deville – Avenida Dos Estados, 1909 – Porto Alegre/RS (próximo ao aeroporto)

Contatos: +5551 9327 2103

Vídeo celebra o lançamento de ACT Aliança

 

Para celebrar o lançamento da ACT Aliança, foi gravado um vídeo cheio de energia e música muito animada com povos indígenas no Brasil e na Índia, com refugiados, com Dalits (também chamados intocáveis), com ativistas dos direitos humanos, com pessoas que lutam pela sobrevivência, com pessoas que vivem nas favelas e com pessoas que trabalham por um mundo justo. Todas as pessoas no vídeo estão relacionadas a ACT de alguma maneira. O vídeo mostra que todos tem um papel a desempenhar e que trabalhando juntos podemos fazer alguma coisa especial.

 

Acesse o vídeo pelo link http://bit.ly/duwxhO

Legendas e créditos em português http://bit.ly/b85hlD

Saiba mais sobre ACT : www.actalliance.org

 

Com informações de ACT Aliança

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.