Lançada Revista OQ

Manoela Vianna

“Abolição e Pós Abolição” é o tema da primeira edição da Revista OQ, lançada por KOINONIA. A publicação é um espaço de produção acadêmica sobre temas relacionados às comunidades remanescentes de quilombo, foco do portal Observatório Quilombola.

 
A temática do primeiro número foi escolhida pela editora da revista, Daniela Yabeta, doutoranda em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF).  A participação no  1º Seminário Caminhos da Abolição e do Pós-Abolição, organizado pelos alunos da pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense (UFF) foi a inspiração para essa edição. Daniela ficou impressionada com a diversidade dos trabalhos e com a riqueza das pesquisas apresentadas. Assim seis autores participantes daquele seminário publicaram artigos na Revista OQ N° 1. 
 
Rodrigo de Azevedo Weimer analisa as relações estabelecidas pelo campesinato negro de Morro Alto (Osório –RS) e  vizinhos, utilizando processos criminais referente ao período de 1901-1932. Luiz Gustavo Santos Cota trata da ação dos escravos e advogados na luta pela abolição nos tribunais das cidades mineiras de Ouro Preto e Mariana (MG), durante o período de 1871-1888. Paulo Henrique de Souza Martins apresenta questionamentos sobre a escravidão negra no Ceará. Matheus Serva Pereira aborda as festas da Abolição ocorridas na província de São Paulo, durante todo o mês de maio de 1888, e Eric Brasil Nepomuceno nos leva até o Carnaval de rua do Rio de Janeiro da década de 1880. Refletindo sobre a experiência da escravidão nas Américas, o artigo de Rachel da Silveira Caé analisa as tensões diplomáticas entre Brasil e o Uruguai envolvendo discussões sobre escravidão, território e fronteira (1830-1850). Esta edição também conta com uma resenha produzida por  Hevelly Ferreira Acrouche do livro de Lea Geler “Andares negros, caminos blancos: afroporteños,  Estado y nacion”, fruto de sua tese de doutorado em História “Outros argentinos? Afrodescendentes porteños e a construção da nação argentina entre 1873-1882”, defendida na Universidade de Barcelona.
 
Importante lembrar que os diversos olhares apresentados pelos autores sobre a experiência da escravidão no Brasil e nas Américas estão relacionados com a presença das comunidades quilombolas no território brasileiro, que hoje ainda lutam pela garantia de direitos.
 
A revista será semestral e está aberta para a colaboração. Em breve anunciaremos o tema do próximo número. 
 
Boa leitura!
 
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.