KOINONIA reúne jovens de terreiros em Salvador

Márcia Evangelista

No dia 26 de agosto, KOINONIA esteve reunida com jovens de terreiros de Candomblé de Salvador, que formam o grupo Oba Byan Inganga Yndumbe (Poder para o novo). O encontro contou com a presença de Ana Gualberto (Assessora do Programa Egbé), Mara Vanessa (Programa Egbé/BA) e Jorge Atílio Iulianelli (Assessor do Programa EDF e TRD), e reuniu jovens dos seguintes terreiros: Junçara Kondirê, Vintém de Prata, Ilê Axé Oyá Alafumbi, Manso Dandalungua, Ilê Axé Opô Aja Omin e Ilê Axé Ondo Nirê.

O objetivo do encontro foi repassar informes e retomar as atividades do grupo, destacando a importância dos jovens de religiões de matriz africana se organizarem como juventude do povo de Santo e como sujeito político.

Informes das atividades dos jovens do Oba Byan

No primeiro momento do encontro, o grupo vindo de vários terreiros de Candomblé, trocaram informes das atividades das quais participaram e dos contatos mantidos no período, entre eles vale citar:

– Convite para participar do Fórum Baiano de Juventude Negra. Alberto Rocha (Beto), do terreiro Vintém da Prata, assumiu a representação junto ao Fórum. O Fórum está organizando a campanha Contra o extermínio da juventude negra e o Oba Byan ficou responsável por articular o máximo de jovens dos terreiros. A Campanha vai ser lançada nos dias 3 e 4 de outubro, com a realização de um Seminário, uma Caminhada e um Show.

– O grupo recebeu a indicação para que encaminhasse projetos à Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, buscando ajuda governamental.

– Houve o convite de Maísa Flores, da Secretaria de Relações Institucionais (Serin), para que o Oba Byan tenha assento no Conselho Estadual de Juventude, como jovens de religiões de matriz africana.

– Beto e Augusto (Ilê Axé Oyá Alafumbi) estiveram presentes no “2º Ciclo de Debates de Povos e Comunidades Tradicionais”, realizado em Salvador nos dias 19 e 20 de agosto. Lá mantiveram contato e apresentaram o Oba Byan à Secretária Estadual de Educação.

– Ricardo (Ilê Axé Opô Aja Omin) e Augusto participaram da construção do 1º Encontro Popular para discutir Segurança Pública. O encontro, que teve uma articulação nacional e internacional, aconteceu no mês de agosto. Como representantes do Oba Byan, os dois propuseram que se garantisse no documento final do encontro, a possibilidade de ação de fé, com atendimento das religiões de matriz africana, no sistema penitenciário.

– Ricardo informou ainda que foi apresentado e aprovado um projeto pela CESE. Trata-se do Encontro Oju Elume (Olhos Iluminados), que foi eleborado no curso de projetos desenvolvido por KOINONIA junto às comunidades de Terreiros de Salvador. É um curso de formação sobre religiosidade de matriz africana para jovens da comunidade do terreiro Ilê Axé Opô Aja Omin e aberto para jovens do entorno. Ocorrerá em dois finais de semana, provavelmente na segunda semana de setembro.

– Andreza (Ilê Axé Ondo Nirê) e Dani participaram da Conapir municipal como delegadas e Augusto e Dani participaram como observadores pelo Obabyan da Conferência Nacional.

Resgate da 2ª Jornada de Juventude até hoje

Num segundo momento do encontro, o grupo fez um resgate das indicações sugeridas na 2ª Jornada de Juventude Nordeste, realizada em Igarassú (BA), entre os dias 5 e 7 de dezembro.

Um dos temas abordados na ocasião foi a homofobia. A discussão evoluiu para pensarmos nos Valores espirituais do Candomblé, onde o combate a esta e a outras formas de preconceitos são pensados como forma de exercer sua religiosidade. A abordagem feita na Jornada despertou entre os jovens do Oba Byan a necessidade de discutir o tema, até mesmo como processo de formação. Várias questões foram colocadas pelos jovens num debate coletivo, com as seguintes indicações:

– Pedir aos pais/mães das casas o apoio para abrir a discussão sobre os valores espirituais do Candomblé, para superar os preconceitos na sociedade;

– A participação do grupo no Curso Oju Elume.

– Pedir aos integrantes do Oba Byan que não estiveram no encontro, para ajudar no encaminhamento das duas atividades;

– Retomar a proposta de montar o estatuto do grupo;

– Alimentar mais sistematicamente o Blog do grupo;

– Divulgar a comunidade no Orkut;

– Realização de um evento festivo “Xirê Obá”, até o final da 1ª quinzena de dezembro;

– Encaminhar a proposta do Cineclube definida durante o Curso de Lideranças da REJU, no Rio de Janeiro, em setembro. Ficou acertado que o “Boca de Filme” encaminhará o Cineclube no município de Lauro de Freitas (BA).

Oba Byan Inganga Yndumbe

O Oba Byan foi formado a partir do ano de 2007, num encontro com jovens de terreiros, promovido por KOINONIA na Casa D’Itália. Na oportunidade surgiu a idéia de se formar um grupo de jovens de Candomblé para lutar e reivindicar pelos seus direitos, como o direito a saúde, moradia, segurança, alimentação, e um dos mais essenciais, educação. No final de 2007 alguns jovens dos terreiros participaram da 1ª Jornada Ecumênica da Juventude do Nordeste, evento ecumênico realizado por Koinonia, com apoio do FE-Brasil.

Em 2008 o grupo passou a participar da criação da Rede Ecumênica de Juventude do Nordeste (REJU-NE). A rede nada mais é do que um conjunto de pessoas de instituições religiosas diversas e do movimento social, que lutam pela comunicação inter-religiosa e pela promoção de políticas públicas para a juventude. O Obabyan participa também de reuniões do Fórum de Juventude Negra (BA), onde passou a ser representado por Alberto Rocha (Beto), do terreiro Vintém de Prata.

Junto à REJU, o grupo participa das coordenações de facilitadores do regional Nordeste e em nível nacional. Desse modo, a juventude candomblecista cumpre o seu papel de agente transformador da realidade social de forma efetiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.