EST abre banco de dados sobre tolerância

Márcia Evangelista

O Núcleo de Pesquisa em Direitos Humanos da Faculdades EST lançou, na quinta-feira, 20, um banco de dados direcionado à consulta de teses, dissertações, resenhas e trabalhos de conclusão referentes à temática da tolerância.

O lançamento do projeto, coordenado pelo professor de Ética da EST, Valério Schaper, ocorreu em meio ao ciclo de debates do XIV Seminário Internacional do Programa de Diálogo Norte-Sul, evento que reuniu pesquisadores e professores dos cinco continentes no Morro do Espelho, em São Leopoldo, de 18 a 20 de maio.

“O objetivo deste projeto é democratizar o acesso à pesquisa realizada no Programa de Pós-Graduação da Faculdades EST sobre a noção de tolerância numa perspectiva da ética teológica para um público amplo, estimulando assim a cooperação entre pesquisadores e a continuidade da produção acadêmica sobre o tema”, destacou Valério.

Desenvolvida com o apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs) e da Faculdades EST, a pesquisa contou com a adesão da doutoranda Kathlen Luana de Oliveira, que trabalhou voluntariamente no projeto ao longo de toda a sua execução. Os bolsistas Thyelles Bocarte Strelhow e Mauricio Avilez Álvares também contribuíram para a administração do banco de dados e indexação do material já pesquisado.

“A nossa proposta é utilizar este banco de dados como instrumento de discussão para redefinir concepções já fixas sobre o assunto e fomentar a reflexão da comunidade acadêmica e das pessoas que sofrem com a intolerância no dia-a-dia”, pontuou Kathlen.

Integrado ao site do acervo da biblioteca da Faculdades EST e disponível para consulta on-line, o banco de dados está em construção e aguarda o envio de textos sobre a temática da tolerância e que ainda não se encontram indexados.

Para consultar o banco acesse www.est.edu.br/tolerancia.

 

Fonte: IECLB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.