Egbé no Baixo Sul

Manoela Vianna

A equipe do Programa Egbé Territórios Negros esteve na região do Baixo Sul da BA no final de agosto. A visita fez parte do Projeto “Capacitação e apoio ao desenvolvimento de Comunidades Negras Tradicionais no Brasil” co-financiado pela União Européia. A equipe visitou do dia 27 a 29 de agosto os municípios de Camamu e Nilo Peçanha.

Em Camamu aconteceram duas reuniões com Mãe Antônia e com representantes do Sindicato de Trabalhadores Rurais de Camamu. Durante as reuniões foi discutido o planejamento da II oficina de capacitação voltada para comunidades quilombolas de Camamu que acontecerá ainda nesse ano.

Em Nilo Peçanha a assessora do Programa Egbé, Ana Gualberto, esteve na comunidade remanescente de quilombo de Boitaraca. Ana se encontrou com o presidente da Associação de Moradores do Quilombo de Boitaraca, Aldo Souza do Rosário. Durante a reunião, a assessora apresentou o Programa Egbé Territórios Negros e Aldo relatou as demandas da comunidade. Segundo Aldo, há na comunidade uma necessidade de discutir as religiões afro-brasileiras para acabar com preconceitos e de conhecer as políticas públicas voltadas para comunidades quilombolas, além de outros assuntos.

130 pessoas vivem em Boitaraca, que fica a 2 km de Nilo Peçanha. A comunidade tem 15 casas, uma igreja e uma escola até quarta série. As principais fontes de renda são extrações de piaçava e apicultura.

O projeto de KOINONIA no baixo sul baiano

A partir deste ano de 2007, o Programa Egbé Territórios Negros ampliou suas ações com um projeto co-financiado pela União Européia chamado “Capacitação e apoio ao desenvolvimento de Comunidades Negras Tradicionais no Brasil”. Esse projeto atenderá 15 Terreiros de Candomblé, localizados em Salvador, e comunidades negras  litorâneas, localizadas nos municípios de Camamu e Nilo Peçanha, região conhecida como Baixo Sul da Bahia.

Durante três anos serão promovidas ações que contemplarão diretamente mais de 2000 pessoas, entre elas mais de mil mulheres. Indiretamente essas atividades alcançarão cerca de 17.500 pessoas. O objetivo é apoiar ações afirmativas por Direitos Econômicos, Sociais, Culturais das comunidades tradicionais na Bahia, visando a melhoria da qualidade de vida dessas populações.

Atividades que KOINONIA desenvolverá com as comunidades quilombolas da região do Baixo Sul da Bahia

  • Capacitação – oficinas sobre os seguintes temas: auto-identificação; direitos territoriais, de direitos civis e políticos; direito à memória; direitos em saúde; elaboração de projetos de etno-desenvolvimento.
  • Informação – produzir e publicar notícias sobre a região, bem como propiciar acesso a informações sobre as comunidades quilombolas do país e sobre atuações governamentais e políticas públicas.
  • Pesquisa – realização de estudos jurídicos, históricos e socio-ambientais.
  • Documentação – criação e manutenção de um banco de dados sobre as comunidades atendidas na região.

A primeira oficina no Baixo Sul

No dia 24 de julho a equipe do Programa Egbé promoveu na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Direitos de Camamu, em Camamu, a 1ª Oficina para comunidades negras rurais do Baixo Sul com a participação de 20 quilombolas de 12 comunidades. Também estiveram presentes no evento representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Direitos de Camamu, da Prefeitura Municipal de Camamu e do Sasop (Serviço de Assessoria a Organizações Populares Rurais).

A oficina foi aberta como uma apresentação sobre o Programa Egbé Territórios Negros e em seguida foram discutidos diversos temas, entre eles: como é o processo de regularização fundiária de terras quilombolas; a existência de políticas públicas específicas para comunidades remanescentes de quilombo e a religiosidade nas comunidades participantes da oficina.

O projeto em Salvador

As ações do Projeto “Capacitação e apoio ao desenvolvimento de Comunidades Negras Tradicionais no Brasil” voltadas para comunidades de Terreiros de Salvador foram iniciadas em abril desse ano. 130 pessoas já participaram de Oficinas de capacitação de conhecimentos artísticos-culturais realizadas em cinco Terreiros de Candomblé. Foram realizados cursos de corte e costura, bordado, culinária afro-baiana, estética afro, pintura em tecido, artesanato, toque de atabaque e dança afro. O novo ciclo de oficinas já foi iniciado.

Leia mais sobre as ações do Programa Egbé em Salvador na notícia: 25 de agosto, dia de ações do Programa Egbé

Conheça as Oficinas de capacitação de conhecimentos artísticos-culturais lendo a notícia: Oficinas em Terreiros de Candomblé

Saiba mais sobre o projeto “Capacitação e apoio ao desenvolvimento de Comunidades Negras Tradicionais no Brasil” lendo a notícia: KOINONIA e União Européia

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.