Egbé entrevista Sacopã

Manoela Vianna

No dia 12 de setembro, Joaquim Ferreira dos Santos, em sua coluna Gente Boa, do jornal O Globo, publicou uma nota afirmando que os moradores da Fonte da Saudade, área nobre do Rio de Janeiro, denunciavam a derrubada de dezenas de árvores no território do quilombo Sacopã.

Diante da denúncia, o Programa Egbé Territórios Negros decidiu entrar em contato com a comunidade para apurar os fatos. Luiz Sacopã e Márcio, seu filho, receberam a equipe do Programa e concederam uma entrevista publicada no OQ (https://www.koinonia.org.br/oq/noticias.asp)

Veja aqui trechos da entrevista e leia a reportagem na íntegra no OQ:

Egbé TN: Numa área em que cada metro quadrado vale R$ 12 mil, é normal que atraia muita atenção e interesses. Mas houve de fato a derrubada de alguma árvore recentemente?

Luiz: Isso é uma calúnia e nós podemos provar. Fui à Secretaria de Meio Ambiente e eles se comprometeram a emitir uma certidão de que não encontraram desmatamento nenhum. Aliás, essa certidão poderá ser usada se a comunidade decidir processar quem anda divulgando essa mentira.

Egbé TN: Veio mais alguém averiguar os fatos?

Luiz: No dia seguinte que saiu no jornal, veio a vereadora Andrea Panacetti, com equipe de filmagem e tudo. Eu estava muito atordoado, mas mesmo assim decidi levá-la a conhecer a comunidade e verificar por ela mesma se havia ou não árvores derrubadas. É claro que ela não encontrou nada e ainda reclamou que havia se machucado pela mata estar tão fechada. Além disso, ontem (dia 27/9) eu estava de saída quando ouvi um barulho de moto-serra. Verifiquei que no prédio perto daqui tinha gente podando galhos. Chamei logo a polícia para registrar um boletim de ocorrência.

Egbé TN: A que você atribui essa denúncia? Por que você acha que ela foi feita?

Luiz: Olha, posso lhe dizer que todos os meses vem pelo menos uma entidade aqui fazer inspeção ou apurar alguma denúncia. Às vezes vem a Feema, a Secretaria de Urbanismo, uma patrulha florestal e até a polícia. A gente aqui não consegue ter paz, é muita pressão e preconceito. Mas agora que saiu até no jornal, achamos que foi longe demais. Não tenho certeza, mas acho que é pelo fato de nosso processo de titulação estar andando.

Leia mais no OQ: https://www.koinonia.org.br/oq/noticias.asp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.