Documento proposta da Rio+20 é longo e pouco efetivo, alertam organismos

Carolina Maciel

A Fundação Luterana de Diaconia (FLD), a Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE), KOINONIA – Presença Ecumênica e Serviço e Christian Aid, membros brasileiros da coalizão internacional Aliança ACT encaminharam carta ao ministro das Relações Exteriores, Antônio de Aguiar Patriota, enfatizando: grande preocupação com o processo de preparação da Rio+20.

O ministro participa da rodada de negociações informais, que está sendo realizada em Nova Iorque (EUA) de 23 de abril até 5 de maio.
 
De acordo com o documento, o texto que vai orientar as negociações na Rio+20 (O Futuro que queremos) é extremamente longo e com poucos sinais de concordância entre Estados-membro quanto aos itens mais importantes no que se refere a desenvolvimento sustentável.
 
Mesmo conceitos já conhecidos, como responsabilidades comuns, mas diferenciadas e poluidores pagam, correm o risco de não serem considerados, afirmam os signatários.
 
Na carta, pede-se que Patriota assuma na rodada de negociações informais um papel decisivo para garantir que a Rio+20 alcance os melhores resultados, identificando respostas ousadas para a sustentabilidade do planeta.
 
Para a Aliança ACT, a Rio+20 precisa mostrar força e levar a mudanças, na direção de uma sociedade menos calcada em crescimento e consumo. Isso exige comprometimento na discussão de temas como energia para todos, regulação do setor privado e oferta de financiamentos, afirma o documento.
 
Adicionalmente, ACT espera que a Rio+20 possa contribuir para o quadro de desenvolvimento pós-2015, depois de finalizado o processo dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio. Tais compromissos deveriam incluir, por exemplo, uma revisão global de prevenção e de resposta a desastres.
 
 
Com informações Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação – ALC

 

     

 

   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.