Ato Público reúne mais de cem quilombolas

Manoela Vianna

Quilombolas da Ilha da Marambaia (Mangaratiba), Alto da Serra (Lídice), Preto Forro (Cabo Frio), Santa Rita do Bracuí (Angra dos Reis) e Campinho (Paraty) reuniram suas famílias na manhã do domingo, 30 de abril, para realizar um Ato Público pela titulação das terras remanescentes de quilombo da Ilha da Marambaia.

O evento foi promovido pela Campanha Marambaia Livre! formada por diversas entidades como Arquimar (Associação dos Remanescentes de Quilombo da Ilha da Marambaia), Acquilerj (Associação das Comunidades Quilombolas do Estado do Rio de Janeiro), KOINONIA e GDASI. O Ato encerrou o II Encontro de Etnodesenvolvimento Quilombola.

Mais de cem pessoas participaram da manifestação, entre elas autoridades governamentais como Ianê Germano, Consultora da Seppir (Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial); Bernadete Lopes, Diretora de Proteção do Patrimônio Afrobrasileiro da Fundação Cultural Palmares (FCP); e o Prof. Wagner Morgan, do Núcleo de Campanha do Plano Diretor do Ministério das Cidades.

Os participantes do Ato Público organizaram uma passeata que percorreu diversas ruas da cidade de Itacuruçá, localizada no município de Mangaratiba (RJ), enquanto os manifestantes informavam a população sobre seus direitos.

Durante a passeata, os quilombolas da Marambaia informaram a população de Itacuruçá que o direito à terra, reivindicado poe eles, está garantido na Constituição Federal de 1988.

Após a passeata os participantes se concentraram e cantaram o hino nacional. A partir daí diversas pessoas fizeram pronunciamentos manifestando apoio à Campanha Marambaia Livre!.

Ianê Germano, Consultora da Seppir, declarou que Secretária está apoiando a causa dos quilombolas. Porém segundo a ARQUIMAR quando a minstra Matilde Ribeiro, da Seppir, vistou a ilha no dia 12 de abril, não houve houve nenhum compromisso por parte da Seppir que possa favorecer o processo de regularização das terras.

Já Bernadete Lopes afirmou que Fundação Palmares apóia a luta da Marambaia, apesar do próprio Estado muitas vezes ser o opressor, como nesse caso.

O Ato Público pela titulação da Ilha da Marambaia foi encerrado com uma apresentação de jongo realizada por membros das comunidades de Campinho e da Ilha da Marambaia.

Saiba mais sobre a Campanha da Marambaia lendo as notícias:

Ato Público da Campanha Marambaia Livre

Manifesto pela titulação das terras quilombolas da Marambaia

Seminário pela campanha da Marambaia

Em defesa dos quilombolas da Marambaia

Conheça o dossiê Marambaia e saiba mais sobre a comunidade quilombola da Ilha da Marambaia : https://www.koinonia.org.br/oq/home_dossie1.htm

Saiba como foi o II Encontro Etnosedenvolvimento Quilombola lendo a notícia:

II Encontro de Etnodesenvolvimento Quilombola

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.