Arraiá Renascer

Manoela Vianna

No último fim de semana, a comunidade quilombola da Ilha da Marambaia, localizada em Mangaratiba (RJ), esteve em festa realizando o Arraiá Renascer. A festa, que reuniu cerca de cem pessoas, começou no dia 8 e acabou na noite do dia 9.

Desta vez a festa junina foi adiada para o mês de agosto, mas não faltaram as atrações tradicionais: a praia foi decorada com bandeirinhas e diversas barraquinhas foram instaladas para a venda de canjica, milho verde e outras comidas típicas. Além disso, o forró tocou a noite inteira e as crianças se divertiram nas barracas de brincadeiras.

O Arraiá foi a quarta festa junina promovida pela Arquimar (Associação de Remanescentes de Quilombos da Ilha da Marambaia) que arrecadou fundos com a festa. O planejamento do evento foi realizado pelo o que é conhecido pela comunidade como Ação Social, grupo de pessoas que não fazem parte da diretoria da associação, mas que também promovem atividades na Ilha.  

Para Sonia Maria Machado, uma das principais organizadoras da festa, o Arraiá é uma forma de estimular a união da comunidade: “uma festa faz as pessoas confraternizarem. Unir as pessoas é o motivo para realizar a festa. Já estou sabendo que todos gostaram.”.

Ela destacou a presença na festa de representantes de KOINONIA, do presidente da colônia de Pescadores de Itacuruçá, conhecido como Cabo, e de um representante da Marinha.

A comunidade da Ilha da Marambaia já está planejando sua próxima festa: Festa da Padroeira da Ilha da Marambaia, Nossa Senhora das Dores, 13 de setembro.

Vídeos no Arraiá

No início da noite do dia 9 foram exibidos os vídeos Visões Quilombolas, produzidos por KOINONIA. São cinco spots (vídeos com cerca de um minuto) e três mini-documentários que compõem a série. Mulheres da Ilha da Marambaia participaram dos vídeos junto com outros cerca de 20 remanescentes de quilombo. Os vídeos abordam temas como identidade, território, religiosidade, racismo e memória.

Sonia Machado, quilombola, pescadora, mãe de seis filhos e nascida e criada na Ilha, é uma das personagens dos vídeos. Sonia – que gostou muito de se ver nos vídeos – acha que com as imagens as pessoas podem compreender um pouco mais sobre a realidade da Ilha. Além disso, para Sonia, os vídeos despertaram o interesse dos jovens porque eles puderam conhecer a vida de outras comunidades quilombolas.

Situação da comunidade da Marambaia

O processo de regularização fundiária do território quilombola da Ilha da Marambaia é um dos mais complexos do cenário nacional. O Relatório Técnico de Identificação e Demarcação (RTID), uma das últimas etapas para a titulação de uma área quilombola, chegou a ser publicado em 2006, mas o governo voltou atrás. Hoje a regularização da área está sendo negociada pela Marinha, Ministério da Defesa e Secretaria de Promoção de políticas de Igualdade Racial (Seppir), com participação da Advocacia Geral da União (AGU). A Marinha controla a Ilha desde 1971.

Saiba mais sobre a comunidade quilombola da Ilha da Marambaia visitando o Dossiê Marambaia

Assista os vídeos Visões Quilombolas: https://www.koinonia.org.br/visoes_quilombolas/mulheres.asp

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.