Aids e linguagem

Helena Costa

Aids e linguagem

A publicação ‘Aids e Igrejas – um convite à ação’, editada por KOINONIA em parceria com o CRT/Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo em 2005, obteve uma procura superior ao esperado. Tanto que o PN-DST/AIDS do Ministério da Saúde reeditou 35 mil exemplares para distribuição nacional. O material, produzido para trabalho com comunidades de igrejas cristãs, tanto protestantes históricas e Pentecostais, e setóres da Igreja Católica, despertou enorme interesse de outros públicos, tais como praticantes de diferentes vertentes do espiritismo.

Tal demanda atesta, para nós, a excelência da publicação, tanto em seu conteúdo técnico, quanto em sua linguagem ecumênica, que mesmo direcionada a pessoas de determinada fé, não impede o interesse de outras tantas.

E falando em linguagem, ‘Aids e Igrejas’ apresenta um interessante quadro contendo expressões e termos relacionado à Aids e ao HIV a serem evitadas. Mais que uma cartilha politicamente correta que impõe regras sem questionamento, o texto explica a razão das inadequações apontadas, ressaltando o peso que as palavras podem carregar e contaminar  as relações com preconceito e discriminação.

Termos a serem evitados

Por que evitá-los?

Quais devem ser usados?

Portador da Aids

Soropositivo

Aidético

 

Esses termos confundem duas fases distintas: a infecção por HIV e a Aids. As pessoas podem ser “portadoras” do HIV e não ter Aids. Além disto o termo “aidético” é pejorativo e discriminatório.

 

HIV positivo

Pessoas com HIV

Teste de Aids

O teste mais comumente utilizado detecta o anticorpo por HIV. Não pode existir um teste de Aids. O diagnóstico se fundamenta em sintomas clínicos.

 

Teste de anticorpos por HIV

Vírus da Aids

Esse termo pode gerar confusão entre HIV e Aids.

Vírus HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana)

 

Infectar-se ou contagiar-se de Aids

Embora seja possível infectar-se de HIV, as expressões infecção e contágio, ao se referirem ao HIV e à Aids, geram confusão, já que sugerem que o HIV é transmissível do mesmo modo que um resfriado ou uma gripe.

 

Infectar-se ou Contrair HIV ou Adquirir HIV

 

Doente de Aids

Ter Aids não significa estar sempre

doente. Uma vez diagnosticada, a pessoa com Aids pode continuar trabalhando e ter uma vida normal durante um tempo considerável. O termo doente não é apropriado neste contexto.

Pessoa com Aids

 

Vítima inocente

Essa expressão sugere que outras pessoas com Aids são culpadas

 

Grupos de risco

O fato de pertencer a qualquer grupo não aumenta por si só o risco para um indivíduo. É aquilo que ele ou ela faz, independente de como é classificado(a), que pode aumentar o risco. Em outras palavras deveríamos falar de condutas de risco e não de grupos de risco.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.