Planejamento Estratégico

O Processo de Planejamento Estratégico
Em 2002, diante das mudanças ocorridas e ainda em andamento nos cenários nacional, internacional e ecumênico, a Diretoria de KOINONIA decidiu rediscutir a estrutura funcional e as estratégias da instituição. Assim, apresentamos à Assembléia de associados aqueles resultados alcançados no Planejamento Estratégico realizado em 2003 como produto de avaliações internas a KOINONIA, a fim de buscar uma melhor adequação de sua estrutura programática e de seus instrumentos de intervenção social aos novos desafios da conjuntura histórica.

Dos envolvidos
O processo de planejamento estratégico desenhado por KOINONIA incluiu, além dos seus próprios componentes – Diretoria, Conselho Fiscal, assessores internos e funcionários de setores estratégicos – a participação de outras instituições, que possibilitaram a incorporação de um olhar externo ao grupo e à práxis institucional. Assim, também tiveram participação no processo, como assessores convidados, o CREAS – organização parceira ecumênica e especializada em planejamento, monitoramento e avaliação – e agências ecumênicas, que ou acompanharam o processo diretamente – Christian Aid e Church World Service – ou se mantiveram informadas, como EED, PWRDF, UCC e NCA. De qualquer forma, as observações externas foram incluídas, por meio de consultas a esses parceiros ecumênicos, desde a formulação dos termos de referência.

Das etapas, resultados, desafios e eixos
As etapas enfrentadas pelo processo envolveram, em um primeiro momento, avaliações em profundidade, que se estenderam aos próprios cenários originais de fundação da instituição em 1994. Essa avaliação encontra-se resumida no anexo 1 na forma de um quadro, do qual podem-se destacar as pistas que orientaram a seqüência do trabalho.

A seguir, outros aspectos e cenários foram matéria de avaliação, permitindo-nos enfrentar uma etapa mais prospectiva, que implicou na re-elaboração dos marcos institucionais, tais como Visão, Valores, Missão, Objetivo Superior (item IV), da redefinição das formas de serviço e intervenção não mais por meio de Projetos, agora re-adequados como Programas (item VI.1), e da explicitação de Eixos Transversais à toda reflexão e ação institucional, assim como de Desafios novos a serem assumidos e aprofundados.

Chamamos Eixos Transversais aqueles considerados fundantes de toda e quaisquer prática ou reflexão institucional, centrais, portanto, à própria identidade de KOINONIA. Tais Eixos são dois: O “Ecumenismo” – apreendido em sua tridimensionalidade (item IV, Valores) e a “Superação da Violência” – esta entendida como toda e qualquer violação de direitos, de forma a tornar claro que todas as ações de KOINONIA estão pautadas por uma afirmação dos Direitos Humanos.

Os temas que passam a fazer parte da agenda estratégica da instituição como Desafios Institucionais são dois: “Relações de Gênero” e “Formação”. O desafio “Relações de Gênero” implicará em um processo de assimilação institucional e de mecanismos de monitoramento que serão estabelecidos a partir de um planejamento para o qual KOINONIA necessitará de assessoria e de investimentos específicos. O desafio “Formação” aponta para duas direções. Em uma, para a melhoria da formação dos quadros internos em vista da necessidade continuada de melhoria profissional dos serviços e da renovação progressiva da direção institucional. Em outra, para a sistematização, integração e otimização dos acúmulos institucionais relacionados às ações de caráter pedagógico, que foram se constituindo na interação com diferentes grupos e redes sociais. Para isso será necessário propor o diálogo com entidades parceiras e com eventuais consultorias da área de educação.

Dos resultados para a capacidade institucional
As indicações presentes no Planejamento Estratégico apontaram importantes resultados para a trajetória de aumento da capacidade de trabalho e gestão institucional (itens VI.2 e VII), das quais destacam-se:

» A escolha de buscar maior profundidade e sustentabilidade das ações em relação aos públicos, que passaram a ser estruturadas por Programas;

»  A definição de Temas de Interação entre os Programas, garantindo a sua sinergia e potencializando serviços. Os Temas foram: AIDS (Saúde Reprodutiva e Educação Sexual); Diálogo Inter-religioso; Juventude; e Relações de Gênero.

»  Os desafios institucionais: Relações de Gênero e Formação;

»  A incorporação das propostas de revisão do próprio organograma institucional;

»  A decisão de incrementar o processo de parcerias, revitalizado durante o acompanhamento do processo de Planejamento Estratégico (PE), promover um encontro com parceiros internacionais para discussão sobre os resultados do Planejamento Estratégico e os desafios comuns da nossa Missão.

»  A decisão de desenvolver um plano gradual de incremento de investimentos orientados pelo Planejamento Estratégico e seus desafios.

Dos instrumentos alcançados O processo resultou nos seguintes produtos que servirão de instrumentos estratégicos: um Planejamento Estratégico que será a referência para KOINONIA nos próximos 6 anos; um Plano Trienal de Ação; e a explicitação e re-elaboração de um Sistema de PMA-Planejamento, Monitoramento e Avaliação.

Visão, Missão, Valores, Eixos, Temas e Organograma

VISÃO: KOINONIA, em sua vocação diaconal, se compreende como um ator político do movimento ecumênico e que presta serviços ao movimento social.

MISSÃO: KOINONIA é uma entidade ecumênica de serviço, composta por pessoas de diferentes tradições religiosas, reunidas em associação civil sem fins lucrativos. Sua missão é mobilizar a solidariedade ecumênica e prestar serviços a grupos histórica e culturalmente vulneráveis e aqueles em processo de emancipação social e política.  Para isso desenvolve programas de produção do conhecimento, informação e educação, que atuam por meio de redes, em busca de espaços democráticos, que garantem a justiça, os direitos humanos – econômicos, sociais, culturais e ambientais – e a promoção do ecumenismo e do movimento ecumênico e de seus valores libertários em nível nacional e internacional.
 
OBJETIVO SUPERIOR: mobilizar a solidariedade ecumênica e prestar serviços a grupos tornados vulneráveis e, em processo de emancipação social e política, e promover o movimento ecumênico e seus valores libertários em nível nacional e internacional.
 
VALORES
Ecumenismo: KOINONIA entende ecumenismo como um valor que correlaciona três dimensões interligadas e inseparáveis, a saber: a busca da unidade dos cristãos; a colaboração com outros setores da sociedade que lutam pela paz, justiça e preservação da natureza; e o diálogo fraterno entre as religiões. Este valor é sustentado pela afirmação do caráter de provisoriedade e incompletude históricas de todas as perspectivas de vida e construções institucionais dos humanos.

Ética de Solidariedade: KOINONIA entende solidariedade como o valor ético maior que orienta e baliza a luta em favor da dignidade humana. Metodologicamente este exercício ético se expressa na fundamentação e estímulo da criatividade de pessoas e grupos no enfrentamento dos problemas postos pela realidade. Esta é a essência da Ação Cultural. Ao mesmo tempo procura reforçar e sustentar as culturas locais e tradicionais como valores referenciais ante as tentativas presentes de homogeneização globalizada.

Direitos Humanos: KOINONIA entende por Direitos Humanos o conjunto de direitos que fundamentados na dignidade intrínseca das pessoas e particularmente destacados nos direitos econômicos, sociais, culturais e ambientais respondem às suas necessidades básicas e de convivência e têm sido conquistados por meio das lutas sociais.
 
EIXOS TRANSVERSAIS E TEMAS DE INTERAÇÃO PROGRAMÁTICA
Eixos Transversais (de toda ação de KOINONIA): Ecumenismo (conforme item IV) e Superação da Violência (entendida como violação de direitos).

Temas de Interação Programática: AIDS (Saúde Reprodutiva e Educação Sexual), Diálogo Inter-religioso, Juventude, e Relações de Gênero.