Transexualidade e religiosidade são temas em mesa de discussão em São Paulo

FOTOS: Marianne Clemente
FOTOS: Marianne Clemente

No dia 2 de fevereiro aconteceu a mesa de discussão, “TRANScendendo a fé”,um dos temas abordados pela I SEMANA DA DIVERSIDADE E IDENTIDADE TRANS, articulada pelo organizativo Transidentidades.

O evento, que contou com participação de KOINONIA, reuniu cerca de 200 pessoas na Catedral Anglicana da Santíssima Trindade, em São Paulo, e foi conduzido por representantes da população T de diferentes segmentos religiosos. Uma das convidadas, a travesti Giu Nonato, falou sobre sua experiência religiosa no Candomblé e a relação com sua sexualidade e identidade de gênero.

IMG_4185 (1)“Tenho sorte de fazer parte de uma família na qual eu sou aceita do jeito que sou. O Candomblé é uma religião que transmite muito acolhimento nas suas famílias, mais ainda assim, por ser uma religião em que a definição dos gêneros é bem definida, muitas mulheres ou homens transexuais, travestis e pessoas transgêneras acabam sofrendo com o preconceito, infelizmente”.

Após a mesa de discussão, o público ainda pode assistir à peça “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu” de autoria da dramaturga britânica Jo Clifford, e montagem e direção de Natalia Mallo.

Interpretada pela atriz Renata Carvalho, travesti, a obra reconta histórias bíblicas, como “O Bom Samaritano”, “A semente de mostarda”, “A Mulher Adúltera” e o “Filho Pródigo”, o monólogo propõe uma reflexão sobre a opressão e intolerância sofridas pela população T e outras minorias e reitera valores cristãos como amor, perdão e aceitação. O espetáculo termina com uma celebração da Santa Ceia e oração comunitária, envolvendo todo o público, simbolizando o ideia de que todos somos Jesus, que partilhamos a vida, o corpo, as vivências e caminhadas.