Primeiro dia da convergência inter-religiosa na Cúpula dos Povos

Carolina Maciel

Em meio a muitas expectativas o primeiro dia, 15, de Cúpula dos Povos evento paralelo a Rio+20, no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro, apresentou amostras do que o público pode esperar para os próximos dias até a data do encerramento, 23. Presentes estiveram o ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, e o Cacique Raoni, líder da tribo Kayapó.

Particularmente, se pode esperar diálogos, debates, reflexões e celebrações inter-religiosas expressando as manifestações de culto representadas pelas religiões presentes ao evento no espaço Religiões por Direitos na Cúpula dos Povos, convergência inter-religiosa facilitada por KOINONIA – Presença Ecumênica e Serviço.
Divida por seis tendas [Novos Paradigmas e Desenvolvimento Sustentável; Segurança Alimentar; Mudanças Climáticas; Povos Tradicionais de Terreiros; Paz, Conflitos Religiosos e Bens Comuns e Juventude e Justiça Ambiental] o espaço recebeu líderes religiosos, representantes de organizações e juventudes organizadas que dialogaram sobre os assuntos e aspectos relacionados às temáticas das tendas, de acordo com o entendimento e compreensão de cada leitura religiosa.
Além disso, as apresentações religiosas marcaram o dia, especialmente, ao iniciar o dia quando os índios da tribo Tikuna, manauenses, brindaram ao público o canto do hino brasileiro e com músicas tradicionais. Durante o dia a manifestação religiosa e o debate sobre o posicionamento dos povos de terreiro em defesa do meio ambiente registraram a preocupação e o cuidado com a natureza, no entendimento de que a Mãe Natureza foi presente do Pai Oxalá aos seres humanos. Por fim, a celebração do xamanismo com a cerimônia do "Pow Wow", momento que reúne de canto e dança dos povos indígenas e não-indígenas.
Fique ligado na agenda do espaço Religiões por Direitos na Cúpula dos Povos.
Compareça!
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *