Povos de terreiros apresentam propostas a candidatos a prefeito e vereador de Salvador

14316792_10202162806387275_3063268339999585325_n
Representantes de terreiros de Salvador apresentaram hoje aos candidatos a prefeito e a vereador uma carta compromisso com as principais reivindicações dos religiosos de matriz africana da cidade. O debate em que o documento foi divulgado aconteceu há pouco num encontro promovido por KOINONIA, no Grande Hotel da Barra. Entre as principais demandas das mães, pais, filhas e filhos de santo estão o enfrentamento da intolerância religiosa nos transportes e espaços públicos, diante dos frequentes ataques a adeptos de religiões de matriz africana; a efetivação da lei sobre taxas municipais para templos religiosos e revisão do Código Tributário Municipal, que atualmente impede que terreiros acessem sua imunidade tributária; a implementação da Lei 10.639, que determina sobre o ensino da historia e cultura afro-brasileiras na rede pública; e a igualdade no atendimento em saúde, com direito a atendimento sacerdotal.

Na parte da manhã, debateram com os religiosos os prefeituráveis Alice Portugal (PCdoB) e Fábio Nogueira (PSOL). Ambos comprometeram-se integralmente com as propostas da carta dos terreiros. De tarde, foi a vez dos candidatos a vereador, que responderam às perguntas de sacerdotes, mas também de jovens candomblecistas. Participaram desse momento Gilmar Santiago (PT), Lindinalva de Paula (PT), Celina de Almeida (PSDB), Silvio Humberto (PSB) e Patrícia Pinheiro (PSL).

O debate acabou se ampliando para outras questões levantadas pelos representantes dos terreiros, que foram enfáticos em alertar para o fato de que a intolerância religiosa só vem se articulando cada vez mais a um conjunto de outras vulnerabilidades. Entre elas as demais dimensões das desigualdades raciais, as desigualdades de gênero e violência contra a mulher, além das discriminações sofridas pelos jovens. O compromisso dos candidatos com a totalidade das propostas apresentadas na carta indica que essas reivindicações iniciais tratam apenas do mínimo para que os povos de terreiros de Salvador tenham sua dignidade respeitada.