KOINONIA compartilha experiências em seminário sobre pluralidade religiosa

O Grupo de Pesquisa Teologia no Plural, do Programa de Pós – Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo, acolheu, nos dias 15 e 16 de março, o I Seminário “Espiritualidades Contemporâneas, Pluralidade Religiosa e Diálogo”. O evento contou com fóruns e mesas temáticos que abordaram diversas transversalidades com as religiões (política, mídia, literatura, etc).
 
Convidada a ministrar a palestra “Saúde, Religião e Direitos” no primeiro dia do seminário, Ester Lisboa, assessora de projetos de KOINONIA em São Paulo, apresentou as ações realizadas pela instituição no estado e propôs reflexões sobre a relação entre saúde e religião e como isto, em alguns momentos, viola direitos de determinados grupos. A assessora também ressaltou a importância de abordar a sexualidade nos espaços religiosos, que muitas vezes fecham os olhos para esta realidade.
 
“As religiões estabelecem uma ordem ou um regime de verdade que justifica ações variadas de violência, mesmo que se apresentem como uma anunciadora do amor. Daí, não importa o quanto se fale sobre ser contra a homofobia, pois cada vez que se instrumentaliza o discurso religioso, nas várias formas de sua linguagem, para a demonização da homossexualidade, esse estará alimentando o ódio, sentimento que não edifica o espírito”, explicou Ester.
 
As ações de KOINONIA junto às comunidades negras tradicionais foram compartilhadas por Ana Martins Gualberto, assessora de projetos da instituição, convidada a falar sobre “O inter-religioso em KOINONIA” no segundo dia do seminário. Foram apresentadas as intervenções do projeto Axé com Arte de construção conjunta com jovens e outros integrantes de terreiros de Salvador (BA) e de desenvolvimento de produção artístico-cultural local, bem como as atividades realizadas no Baixo Sul do estado com o projeto Comércio com Identidade: Mulheres Negras Quilombolas do Baixo Sul da Bahia e os canais Observatório Quilombola e Dossiê Intolerância Religiosa.
 
“Muitas vezes, as ações dos terreiros e de comunidades negras tradicionais são totalmente invisibilizadas e um dos trabalhos de KOINONIA é dar espaço e publicidade a isso”, concluiu.
 
A realização do evento contou com a parceria de KOINONIA, do GT Espiritualidades Contemporâneas, Pluralidade Religiosa e Diálogo (Anptecre/Soter) e da Rede Ecumênica de Juventude (REJU).