Diretores de ministérios globais pedem unidade na missão de Deus

30 de abril de 2019, Atlanta, GA.

A missão de Deus de salvar, curar e transformar pede a todos os Metodistas Unidos que participem independentemente da forma que a sua igreja assumir no futuro.

Este é o convite de uma declaração sem precedentes “Unidos na Missão de Deus”, a mesma foi aprovada por unanimidade pelos 32 diretores votantes da Junta Geral de Ministérios Globais, que é a agência missionária da igreja que incorpora o Comitê Metodista Unido de Ajuda Humanitária (UMCOR). A declaração surgiu nas conversas ao redor da mesa de 12 de abril sobre a atual e profunda divisão Metodista Unida, ocorrida a partir da Conferência Geral Especial de Fevereiro.

Muitos dos diretores, vindos de várias partes do mundo, expressaram preocupação com o impacto negativo que a divisão está tendo na missão da Igreja e no trabalho humanitário. Os diretores representam uma ampla gama de perspectivas teológicas e culturais, mas comprometem-se com o que a declaração chama de “obra de Deus”.

“Reconhecemos e lamentamos a profunda divisão em nossa Igreja Metodista Unida e o conflito entre povos e lugares”, admite a declaração. “Ainda não sabemos como superar essa divisão, mas como Ministérios Globais e UMCOR, acreditamos que o trabalho que Deus nos chamou para fazer representa o que está certo com a igreja global. Acreditamos que temos uma oportunidade de trabalhar pela cura, paz e reconciliação – não importa qual seja a forma do futuro do Metodismo Unido”.

 “Esta declaração reflete nossa profunda e sincera esperança, como diretores, de que a divisão em nossa igreja não diminuirá nosso compromisso com a missão de Deus”, disse o bispo Hee-Soo Jung, líder episcopal da Área de Wisconsin e presidente dos Ministérios Globais. “Devemos lembrar e confessar que a missão de Deus é o que sustenta e anima a igreja”.

Os diretores dos Ministérios Globais são escolhidos por meio de um processo de eleição por jurisdições geográficas nos Estados Unidos e conferências centrais regionais na África, Europa/Eurásia e Filipinas. Incluem 11 diretores de conferências centrais, mais do que qualquer outra agência geral. O conselho tem 32 votos e cinco membros não votantes.

Após a mesa de negociações em 12 de abril, a Rev. Katie Dawson, diretora da Conferência Anual de Iowa, lançou o convite de unidade na missão. O texto passou por revisão e edição e foi submetido aos diretores votantes para aprovação.

Segue aqui abaixo o texto completo da Declaração.

Unidos na missão de Deus

Um convite dos diretores da Junta Geral de Ministérios Globais,

A Igreja Metodista Unida

A primeira sociedade missionária metodista na tradição continuada de Ministérios Globais foi fundada em 1819 para promover uma missão que atravessou fronteiras de cultura, raça, etnia, classe e nação. Duzentos anos depois, essa missão de cruzar fronteiras permanece central para quem somos como Metodistas Unidos.

Quando o bispo Herbert Welch fundou o que hoje é o Comitê de Assistência da Igreja Metodista Unida, ele disse à Conferência Geral de 1940 que a agência serviria como uma “voz de consciência entre os metodistas para atuar no alívio do sofrimento humano sem distinção de raça, cor ou credo”.  Este mandato permanece verdadeiro e é praticado até hoje.

 O trabalho de Ministérios Globais e da UMCOR sempre conectou igrejas, pessoas e parceiros Metodistas Unidos na missão de Deus – não em nossa missão – em uma variedade de contextos, países e culturas. Como os Metodistas Unidos celebram 200 anos de missão, também estamos aprendendo com esse passado e reivindicamos uma teologia da missão enfatizando a Missio Dei. Estamos aprendendo a confessar os danos e a natureza tóxica do domínio colonial e estamos em missão de testemunhar o que Deus fez e está fazendo e aprender com o que Deus está fazendo em todas as terras onde os discípulos se reúnem em nome de Jesus Cristo.

 Quando uma tempestade ou conflito destrói uma comunidade, ela o faz sem considerar orientação sexual, perspectiva teológica, raça, classe, gênero ou religião. E quando a UMCOR aparece para responder, construir resiliência, reconstruir casas e capacitar pessoas, isso acontece porque todas as pessoas daquela comunidade são vizinhas e somos chamados por Deus para viver as boas novas de Jesus Cristo. Os Ministérios Globais trazem visão aos cegos, curam os doentes, buscam a libertação dos prisioneiros e a justiça para os oprimidos, constroem a paz onde há conflitos, convidam as pessoas a serem transformadas e aperfeiçoadas pelo amor de Deus e iniciam novas comunidades de fé em vários contextos ao redor do mundo.

 Os Ministérios Globais têm missionários, voluntários e parceiros em mais de 125 países no mundo, e nossa missão realmente se move de todos os lugares para todos os lugares. Nossos projetos avançados são uma resposta direta às necessidades priorizadas pelas comunidades com as quais estamos em parceria. Nós capacitamos mulheres e meninas. Nós salvamos as vidas de bebês e mães. Trabalhamos para garantir os direitos dos migrantes. Ajudamos a criar acesso a direitos humanos, equidade de gênero e saúde reprodutiva. Estamos ajudando as comunidades a serem guardiãs da terra e a cuidar da criação. Estamos fornecendo recursos para o desenvolvimento sustentável em comunidades empobrecidas. Criamos uma fundação através do Imagine No Malaria para os conselhos de saúde que respondem de forma holística às necessidades de saúde das comunidades. Os Ministérios Globais fazem isso conectando a igreja em missão de todos os lugares a todos os lugares.

 Este é o trabalho de Deus.

 Reconhecemos e lamentamos a profunda divisão em nossa Igreja Metodista Unida e o conflito entre povos e lugares. Nós ainda não sabemos como superar essa divisão, mas como Ministérios Globais e UMCOR, acreditamos que o trabalho que Deus nos chamou para fazer, representa o que está certo com a igreja global. Acreditamos que temos a oportunidade de trabalhar pela cura, pela paz e pela reconciliação – independentemente da forma que o futuro do Metodismo Unido tome.

 Continuamos comprometidos com a Missio Dei. E convidamos você a participar e continuar participando do que Deus já está fazendo para salvar, curar e transformar as vidas de todas as pessoas, em todos os lugares deste mundo.